Publicado 25 de Fevereiro de 2021 - 12h51

Por Estadão Conteúdo

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 0,2 ponto na passagem de janeiro para fevereiro, para 91,0 pontos, interrompendo uma sequência de quatro retrações seguidas, informou nesta quinta-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais, o indicador recuou 0,8 ponto.

"Depois de quedas consecutivas, a confiança do comércio acomodou em fevereiro. Ainda é preciso cautela na análise do resultado, pois os empresários do setor avaliam piora no ritmo de vendas pelo quinto mês seguido. Por outro lado, há uma melhora nas expectativas, mas que podem ser interpretados como redução do pessimismo dado que o índice ainda está abaixo do nível neutro de 100 pontos. O cenário nesse início do ano não é muito animador para o setor, mas expectativas sobre novos programas de auxílio do governo, avanço da vacinação e melhora na confiança do consumidor podem contribuir para recuperação das vendas ao longo do ano", avaliou Rodolpho Tobler, coordenador da Sondagem do Comércio no Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

Em fevereiro, houve melhora na confiança em três dos seis principais segmentos do comércio. O Índice de Expectativas (IE-COM) avançou 3,8 pontos, para 95,9 pontos, maior patamar desde fevereiro do ano passado, no pré-pandemia. Já o Índice de Situação Atual (ISA-COM) recuou 3,5 pontos, para 86,5 pontos.

Segundo a FGV, o Indicador de Desconforto - calculado por uma média de respostas sobre limitações à melhora dos negócios, como demanda insuficiente, acesso ao crédito bancário e custo financeiro, entre outros - mostrava tendência de recuperação, movimento que parece ter perdido força em fevereiro. Os principais limitadores para os negócios ainda são a fraca demanda e questões relacionadas à pandemia.

A coleta de dados para a edição de fevereiro da Sondagem do Comércio foi realizada entre os dias 1º e 23 do mês, com informações de 800 empresas.

Escrito por:

Estadão Conteúdo