Publicado 24 de Fevereiro de 2021 - 16h50

Por AFP

Fanne Foxe, também conhecida como a "bomba argentina", protagonista de um dos escândalos sexuais mais comentados da capital americana, morreu na Flórida aos 84 anos, noticiou nesta quarta-feira (24) o jornal The Washington Post.

A bailarina de cabaré, nascida na Argentina, saltou às capas de jornais em todo o país em 1974 após mergulhar nas águas da Tidal Basin, após uma noite de farra e álcool em uma boate, acompanhada de um legislador casado.

Foxe era o nome artístico de Annabel Edith Villagra, que nasceu em 14 de fevereiro de 1936 na cidade de Nueve de Julio, Argentina. O Post reportou que a mulher, também conhecida como Annabelle Battistella após o casamento com o pianista de cabaré Eduardo Battistella, morreu em 10 de fevereiro em Clearwater, Flórida.

Em outubro de 1974, Foxe, então com 38 anos, esteve no centro das atenções quando a polícia deteve um automóvel que circulava de forma errática e com os faróis apagados pelo centro de Washington a altas horas da noite.

Com um vestido de noite, Foxe saiu do carro e mergulhou nas águas geladas da Tidal Basin, na enseada da capital americana, famosa pelos monumentos a Thomas Jefferson e Martin Luther King e pelas cerejeiras em flor na primavera.

O outro ocupante do carro era um congressista, o democrata Wilbur Mills, de 65 anos, poderoso presidente do Comitê de Meios e Arbítrios da Câmara de Representantes. Ele estava embriagado.

O casal tinha passado a noite na boate Silver Slipper, onde Foxe, então divorciada e mãe de três filhos, tinha se apresentado.

Mills foi reeleito em novembro de 1974, mas deixou a política em 1977 e morreu em 1992.

Foxe, que chegou a Miami com Battistella nos anos 1960 e depois se apresentou em Baltimore, estava separada do marido quando conheceu Mills em meados de 1973 no clube noturno Silver Slipper, através de uma amiga em comum, conhecida como "Carmen, a deusa do amor peruana".

Após o escândalo da Tidal Basin, que tornou pública sua relação com Mills, Foxe participou de filmes de baixo orçamento e de uma produção off-Broadway. Ela deixou de ser bailarina exótica em dezembro de 1974, após ser presa por indecência em Orlando, Flórida.

Segundo o Post, Foxe seguiu sua vida: escreveu suas memórias, intituladas "La stripper y el congresista" (1975), casou-se com o empreiteiro Daniel Montgomery em 1980, com quem teve uma filha, e acabou radicando-se na Flórida.

Ali se formou em Comunicações em 1995 na Universidade de Tampa, e obteve dois mestrados, um em ciência marinha em 2001 e outro em administração de empresas em 2004, na Universidade do Sul da Flórida.

cl-ad/rs/mvv

Escrito por:

AFP