Publicado 24 de Fevereiro de 2021 - 15h50

Por AFP

Rainha de beleza em um povoado mexicano aos 17 anos. Esposa do traficante de drogas mais poderoso do mundo, "Chapo" Guzmán, um ano depois.

Modelo, influenciadora, estilista, estrela de reality show e, segundo o governo dos Estados Unidos, traficante de drogas.

Quem realmente é Emma Coronel Aispuro, 31 anos, presa em Alexandria, na Virgínia, depois de ser detida na segunda-feira por tráfico de drogas e participação na fuga do marido?

Sua vida, cercada de mistério, tem sido objeto de fascínio desde que Coronel, 32 anos mais jovem que seu marido, se tornou uma figura-chave no julgamento de Joaquín "El Chapo" Guzmán em Nova York, há dois anos, que culminou em uma sentença de prisão perpétua do poderoso ex-chefe do cartel de Sinaloa.

Alta e com longos cabelos negros lisos, vestida com roupas justas e saltos altos, Coronel sorriu e mandou beijos a "El Chapo" da segunda fila do tribunal quase todos os dias durante três meses.

Foi o único contato possível, pois as autoridades a proibiram de visitar ou telefonar para o marido na prisão e a juíza nem mesmo permitiu que se abraçassem pela última vez no tribunal.

Às vezes, ele trazia as gêmeas pequenas, Emali Guadalupe e María Joaquina, então com sete anos, ao tribunal para ver o pai.

Enquanto "El Chapo" aguardava seu julgamento, Coronel compartilhou no Instagram fotos de uma luxuosa festa de aniversário de suas filhas, inspirada na boneca Barbie.

De onde vem o dinheiro? Muitos se perguntaram quando nem os governos dos Estados Unidos nem do México conseguiram apreender um tostão de "El Chapo", que construiu um império de 14 bilhões de dólares, segundo Washington.

Durante o julgamento, Dámaso López Núñez, vulgo "Licenciado", ex-chefe de uma prisão mexicana que também trabalhou para "El Chapo", colaborou com as investigações.

Ele contou como Coronel ajudou seu marido a escapar do presídio de Altiplano em 2015, em uma motocicleta por um túnel de 1,5 km construído a partir de um banheiro, e a planejar uma nova fuga um ano depois, quando foi detido novamente.

A acusação revelou mensagens de texto nas quais "El Chapo" lhe pedia que escondesse suas armas antes de uma operação policial.

A promotoria também divulgou uma ligação interceptada entre Coronel e "El Chapo", na qual ela passa o telefone para o pai, Inés Coronel Barreras, para que o traficante o aconselhe sobre a travessia de drogas na fronteira com os Estados Unidos.

Por que Coronel ainda não havia sido acusada? Esta foi a pergunta dos jornalistas que cobriam o julgamento.

Escrito por:

AFP