Publicado 24 de Fevereiro de 2021 - 15h12

Por Estadão Conteúdo

O Tesouro Nacional apresentou nesta quarta-feira, 24, a nova metodologia de cálculo do custo médio das emissões de títulos da Dívida Pública Federal (DPF), que passou de 4,44% ao ano em dezembro para 4,65% ao ano em janeiro.

De acordo com o Tesouro, a metodologia de apuração anterior capturava o tempo de permanência de cada emissão em estoque. Com isso, o cálculo acabava atribuindo um peso maior às emissões mais antigas na janela de 12 meses.

Com a mudança de metodologia, o indicador passou a capturar as taxas dos leilões, a variação dos indexadores e o volume das emissões de maneira equânime na janela móvel de 12 meses.

Segundo o Tesouro, a nova fórmula produz resultados mais alinhados às condições de mercado no momento da apuração do indicador.

Escrito por:

Estadão Conteúdo