Publicado 24 de Fevereiro de 2021 - 11h20

Por AFP

O estado da Virgínia aprovou a carteira de motorista para pessoas sem documentos, um "alívio" e uma "mudança de vida" para muitos migrantes que se arriscam todos os dias para trabalhar e vivem com medo de serem deportados dos Estados Unidos, caso sejam detidos em alguma operação de controle.

"Tenho que dirigir", contou à AFP Lázaro Interiano, um imigrante salvadorenho de 52 anos que está há 17 anos nos Estados Unidos e que trabalha no setor de construção.

Para chegar ao trabalho, ele precisa dirigir todos os dias e por isso vive com medo. "Aqui os ônibus são muito escassos e temos que dirigir de uma forma ou outra", explicou.

Assim como ele, quase de 300.000 migrantes em situação irregular podem se beneficiar desta autorização especial na Virgínia, uma iniciativa que já existe em 15 estados do país, além do Distrito de Columbia.

"A vida é muito difícil aqui nos Estados Unidos sem um veículo", contou à AFP Luis Aguilar, um imigrante de origem mexicana que é o diretor da CASA, uma organização que ajuda os migrantes sem documentos.

Ao ver que em outros estados que aprovaram este benefício os migrantes registraram taxas de fracasso de 90% nas provas para obter a carteira, a CASA decidiu ajudar os indocumentados com a papelada e também oferecendo aulas, que são virtuais devido à pandemia.

Uma das grandes dificuldades é a barreira do idioma, mas também há obstáculos pelas diferenças culturais e educacionais: muitos migrantes são analfabetos e se guiam apenas pelos símbolos.

Muitos alunos que assistem as aulas são mulheres, devido à forma como as famílias são estruturadas, já que geralmente os homens trabalham na construção e conseguem obter uma carteira de outro estado.

As mulheres "antes não precisavam da carteira porque trabalhavam com limpeza e alguém vinha buscá-las", contou Mary Valera, uma das professoras, que explicou que agora poderão ter acesso a melhores empregos. "Antes não queriam se arriscar", disse.

O estado da Virgínia - que faz fronteira com a cidade de Washington - atraiu um grande fluxo de migrantes, principalmente latino-americanos, na década de 1980 e 1990. Perto da capital americana há meios de transporte, mas o preço de moradia é mais alto.

Por conta disso, muitos imigrantes se afastam do centro urbano e dos transportes para viver, mas precisam se deslocar todos os dias para trabalhar. Dirigir, então, se torna algo imprescindível e muitos se arriscam no processo.

an/gm/aa

Escrito por:

AFP