Publicado 24 de Fevereiro de 2021 - 8h42

Por AFP

O gigante farmacêutico AstraZeneca reconheceu novas dificuldades na produção de vacinas na Europa e informou que terá de recorrer a fábricas no exterior para cumprir as entregas de doses para a União Europeia (UE) no segundo semestre.

A AstraZeneca "está trabalhando para aumentar a produtividade de sua cadeia de suprimentos na UE" e vai usar "sua capacidade global para garantir a entrega de 180 milhões de doses à UE no segundo semestre do ano", disse um porta-voz do grupo anglo-sueco à AFP na terça-feira (23) à noite.

"Espera-se que aproximadamente metade do volume previsto seja procedente da cadeia de fornecimento na UE", e o restante, da rede internacional da empresa, acrescentou o porta-voz.

O anúncio foi feito depois que a polêmica sobre as entregas da vacina da AstraZeneca/Oxford para a União Europeia no primeiro trimestre de 2021 provocou tensões entre o bloco e o grupo farmacêutico.

Nesta quinta-feira (25), haverá uma cúpula europeia extraordinária por videoconferência, dedicada, sobretudo, à crise sanitária.

O governo britânico imunizou milhões de pessoas com a vacina da AstraZeneca desde o final de 2020. Na UE, porém, a empresa começou a fazer as entregas do fármaco apenas no início de fevereiro de 2021, depois que a agência reguladora europeia do setor de medicamentos recomendou seu uso.

csp-jpl/ylf/slb/mab/zm/tt

ASTRAZENECA

Escrito por:

AFP