Publicado 23 de Fevereiro de 2021 - 6h10

Por AFP

A polícia da Geórgia prendeu nesta terça-feira (23) um líder da oposição durante uma operação violenta contra a sede de seu partido, em um país que enfrenta uma crise política desde as eleições legislativas do ano passado.

Nika Melia, líder do principal partido de oposição georgiano, o Movimento Nacional Unido (MNU), foi retirado da sede de sua formação e está em detenção provisória.

Centenas de policiais utilizaram gás lacrimogêneo contra simpatizantes e dirigentes de todos os partidos da oposição que estavam acampados diante do edifício desde a semana passada.

Dezenas de opositores foram detidos.

A operação policial aconteceu após a renúncia do primeiro-ministro Giorgi Gakharia na quinta-feira.

Gakharia afirmou que tomou a decisão por uma divergência em seu partido a respeito da aplicação da decisão judicial de deter a Melia.

A operação policial provocou a revolta da oposição e uma advertência dos aliados ocidentais desta ex-república soviética.

"Chocado com as cenas na sede do MNU esta manhã", escreveu o embaixador britânico Mark Clayton no Twitter.

"A violência e o caos em Tbilisi são as últimas coisas que a Geórgia precisa neste momento. Apelo às partes para que atuem com moderação, agora e nos próximos dias", completou.

Nika Melia rebateu as acusações de ter organizado manifestações violentas contra o governo em 2019.

A ordem de detenção de Melia aprofundou uma crise política que afeta a nação do Cáucaso desde as eleições legislativas de outubro.

Os partidos de oposição afirmaram que a votação foi manipulada depois que o partido Sonho Georgiano obteve uma vitória apertada.

Após a renúncia de Gakharia, os partidos opositores pediram a convocação de eleições antecipadas.

im/reb/ybl/ALC/erl/zm/fp

Escrito por:

AFP