Publicado 22 de Fevereiro de 2021 - 14h40

Por AFP

As autoridades holandesas anunciaram, nesta segunda-feira (22), que duas investigações foram abertas após a queda há dois dias de peças de um avião de carga Boeing 747 400, que deixaram duas pessoas feridas no sul do país.

O incidente aconteceu no sábado, no mesmo dia em que ocorreu um sério incidente em Colorado (EUA), onde outro avião Boeing, um 777 com 241 pessoas a bordo, teve que realizar uma manobra de emergência para retornar ao aeroporto do qual havia decolado depois do motor direito do avião pegar fogo.

Nesta segunda-feira, todas as unidades do Boeing 777 equipadas com o tipo de motor do avião em questão ficaram imobilizadas em terra.

No caso da Holanda, se trata de um avião de carga Boeing 747 400, que no sábado à tarde teve dificuldades poucos segundos depois de decolar do aeroporto de Maastricht-Aquisgrán, indicando ao controle de tráfego que havia detectado "um incêndio de motor", de acordo com um comunicado no domingo das autoridades do aeroporto.

"Iniciamos uma investigação preliminar", declarou Luisa Hubregtse, do Conselho para a Segurança holandês, organismo responsável por investigar os incidentes aéreos.

"No entanto, neste momento é muito cedo para tirar conclusões", destacou à AFP.

"Estamos fazendo uma investigação técnica", disse à AFP um porta-voz policial, sob anonimato.

"Veremos se há alguma responsabilidade em todo o ocorrido. A empresa Boeing será interrogada", acrescentou.

O avião tinha como destino Nova York e transportava mercadorias, entre elas produtos farmacêuticos, e fez um pouso de emergência no aeroporto de Lieja, na Bélgica.

Os meios de comunicação holandeses divulgaram fotos que circulavam nas redes sociais, com restos do avião sobre o solo em Meerssen, perto de Maastricht, particularmente um deles preso em um carro.

amo/sr/age/mb/aa

BOEING

Escrito por:

AFP