Publicado 20 de Fevereiro de 2021 - 18h10

Por AFP

O novo ministro das Relações Exteriores do Peru, Allan Wagner, pediu neste sábado (20) aos políticos de seu país que evitem prejudicar as relações com a China, em meio ao escândalo das vacinações antecipadas contra a covid-19 com doses de um laboratório chinês.

"Devemos ter muito cuidado com nossas relações com a República Popular da China", alertou Wagner no canal RPP, sugerindo evitar comentários sobre o chamado "Vacinagate" que poderiam incomodar o principal parceiro comercial do Peru.

A China forneceu as vacinas utilizadas irregularmente por 487 pessoas no Peru, entre elas o popular ex-presidente Martín Vizcarra, antes do início da campanha de imunização, que começou em 9 de fevereiro e por enquanto inclui apenas profissionais de saúde.

O escândalo se estendeu ao atual governo de transição de Francisco Sagasti e levou à renúncia de duas ministras, a titular da Saúde, Pilar Mazzetti, e a chanceler Elizabeth Astete, que foi substituída por Wagner na segunda-feira.

O ministro não quis esclarecer a quem se dirigia seu aviso. "Para bom entendedor, meia palavra basta", limitou-se a dizer.

Wagner fez seu alerta um dia depois que a chefe de gabinete de Sagasti, Violeta Bermúdez, sugeriu pedir às autoridades chinesas que "compartilhassem informações" sobre as doses enviadas pelo grupo farmacêutico chinês Sipopharm ao Peru.

Os 487 imunizados de forma irregular, incluindo 122 funcionários públicos, receberam parte das 3.200 doses extras enviadas pela Sinopharm para o pessoal encarregado de um ensaio da vacina entre 12.000 voluntários.

A embaixada do país asiático, que recebeu 2.000 doses para imunizar seus funcionários, se manteve em silêncio sobre o escândalo que agora está sendo investigado pela Procuradoria e o Congresso.

No entanto, a legação chinesa rejeitou o uso de "termos como vacinas de cortesia, doações ou regalias", usados por políticos e veículos de imprensa peruanos para designar as 3.200 doses extras (de onde sairam as que foram aplicadas irregularmente).

fj/dg/ic

Escrito por:

AFP