Publicado 20 de Fevereiro de 2021 - 14h30

Por AFP

Autoridades panamenhas anunciaram neste sábado(20) a primeira reinfecção por covid-19 no país, ao detectar o contágio de uma pessoa seis meses após ter contraído o vírus.

"As investigações de nossos médicos confirmaram um caso de reinfecção", disse Juan Pascale, diretor do Instituto Gorgas Memorial de Estudos de Saúde, uma instituição pública autônoma.

"O Panamá se torna um dos primeiros países do mundo a confirmar um caso de reinfecção da covid-19 na mesma pessoa 6 meses após a primeira", acrescentou Pascale.

Este cientista explicou que existem muitos casos suspeitos de reinfecção, mas é difícil confirmá-los porque é necessário ter amostras antigas e atuais do vírus para poder sequenciá-los, analisá-los e compará-los.

A virologista do Instituto Gorgas, Sandra López, indicou que desde junho já havia médicos e pacientes "preocupados" pensando que poderiam ser infectados novamente pelo novo coronavírus.

Mas agora "fomos capazes de sequenciar o primeiro vírus e o segundo e pudemos determinar que, embora sejam da mesma linhagem, são muito diferentes porque têm 20 mutações diferentes", disse ele.

Mesmo nas mutações do segundo vírus, há 10 que modificam suas proteínas, segundo os cientistas.

"Isso nos diz que é um caso de reinfecção porque os dois vírus são geneticamente diferentes", disse López.

De acordo com esses especialistas, pode acontecer, embora muito raro, que o coronavírus permaneça no corpo por algum tempo, apesar dos testes negativos para sua detecção.

Às vezes, isso pode levar a pensar que uma pessoa foi infectada novamente quando na realidade o primeiro vírus ainda não foi eliminado do corpo, esclarecem os especialistas.

O Panamá tem mais de 335.000 infectados e 5.711 mortes por covid-19. O país está atualmente em processo de vacinação após a chegada de mais de 80 mil doses da Pfizer / BioNtech.

As autoridades panamenhas esperam ter pelo menos 5,5 milhões de vacinas de três multinacionais (Pfizer, AstraZeneca e Johnson & Johnson), além do mecanismo Covax da OMS.

O Instituto Gorgas foi criado em 1921 pelos Estados Unidos durante sua presença no país centro-americano para administrar o canal interoceânico. Atualmente é o centro de referência no estudo de doenças virais no Panamá.

jjr/yow/jc

Escrito por:

AFP