Publicado 18 de Fevereiro de 2021 - 20h20

Por AFP

Um Manchester City (1º) lançado rumo ao título visita o Arsenal (10º) no Emirates no domingo com o objetivo de se distanciar ainda mais na liderança da Premier League, enquanto no sábado um derby será crucial para as pretensões de Champions de "Reds" e "Toffees".

Depois de vencer o Everton por 3 a 1 em jogo adiado na quarta-feira, a equipe de Pep Guardiola tem 10 pontos de vantagem sobre Manchester United (2º) e Leicester (3º), que completam o pódio provisório do campeonato inglês.

A menos de uma semana de enfrentar o Borussia Mönchengladbach no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões, o City está imparável: não perde um jogo desde o dia 21 de novembro (quando foi derrotado por 2 a 0 pelo Tottenham na 9ª rodada do campeonato) e a vitória sobre o Everton foi sua 17ª consecutiva contando todas as competições. E faltam apenas 14 rodadas para o final do campeonato.

Com estes números, o treinador catalão está a caminho de completar a sua melhor temporada no City, onde chegou em 2016 e com o qual já conquistou o Premier duas vezes, a Copa da Liga três vezes, a FA Cup uma e duas vezes a Community Shield (Supercopa). Mas o que vai realmente medir o trabalho de Guardiola será a Champions League.

"Todas essas vitórias consecutivas demonstram o desejo da equipe. Eles jogam para vencer, pelos três pontos", declarou Guardiola após vencer o Everton, embora imediatamente tenha relativizado: "É bom, mas agora o próximo objetivo é o Arsenal".

Aos poucos, além disso, Guardiola vai recuperando jogadores-chave, como o belga Kevin de Bruyne, "maestro" do esquema tático "citizen", e Sergio Agüero, já em sintonia com o grupo após superar a covid.

Mas também é verdade que as contínuas adaptações do esquema tático ao estado específico de seus jogadores (por exemplo, ter Ferran Torres jogando como "9" quando Agüero e Gabriel Jesus se machucaram) é o que fez Guardiola ser considerado por muitos como o melhor treinador do mundo.

O Manchester United, por sua vez, vai tentar aproveitar o fato de receber um Newcastle em crise e que luta para não ser rebaixado (está em 17º), para tentar diminuir a diferença de pontos ou, pelo menos, ficar à frente do Leicester, que tem um jogo mais complicado em Birmingham, contra o Aston Villa (8º).

Quem também tem partidas complicadas são o Chelsea (4º com 42 pontos) que viaja para enfrentar o Southampton (13º), especialmente porque os "Blues" estarão a três dias do confronto da Champions contra o Atlético de Madrid, e o West Ham (5º, 42 pontos), que recebe o Tottenham (9º).

Outro duelo que promete emoção será o "Merseyside derby", clássico entre Liverpool e Everton (6º e 7º na classificação, com três pontos de diferença), principalmente pela necessidade de ambos de somar três pontos para não perder o "trem" rumo à Liga dos Campeões.

Os "Reds", que praticamente deram adeus ao bicampeonato da Premier após somar cinco derrotas nos últimos 10 jogos (e 9 pontos em 30 possíveis), devem ter recuperado a confiança depois de vencer por 2 a 0 como visitantes o RB Leipzig na ida das oitavas de final do torneio continental, dando um grande passo rumo às quartas de final.

Jürgen Klopp continua sofrendo com desfalques, já que a enfermaria do Liverpool ainda está cheia.

Foi justamente contra o Everton, em Goodison Park, na primeira rodada (no mês de outubro), que o zagueiro holandês Virgil Van Dijk se machucou gravemente no joelho, uma ausência (para o restante da temporada) que está sendo muito sentida pelo atual campeão inglês.

Escrito por:

AFP