Publicado 18 de Fevereiro de 2021 - 9h40

Por AFP

Aproximadamente sete meses após sua decolagem, o último veículo da NASA com destino a Marte, o Perseverance, terá que sobreviver, nesta quinta-feira (18), aos "sete minutos de terror" da perigosa manobra que precederá seu pouso.

O local escolhido, a cratera de Jezero, é o local de pouso mais perigoso já tentado. Em sete minutos, o veículo deverá passar de uma velocidade de 20.000 km/h para 0.

O Perseverance está programado para pousar às 20h55 GMT (17H55 de Brasília).

Dez minutos antes de entrar na atmosfera de Marte, vai se separar da parte de cruzeiro, que o abasteceu de combustível durante a viagem.

O rover ficará então conectado exclusivamente à parte de descida, protegidos por dois escudos, o térmico inferior.

A cerca de 130 km da superfície de Marte, a missão entrará na atmosfera a uma velocidade de 20.000 km/h. O atrito aumentará a temperatura para 1.300 °C. O escudo inferior protegerá o rover desse calor infernal.

Mas a atmosfera não é suficiente para desacelerar a nave, que ainda estará a 1.500 km/h.

A cerca de 11 km de altitude, em momento oportuno calculado com base na distância restante até o local de pouso, será liberado um paraquedas de 21 metros de diâmetro, localizado no escudo superior.

Isso reduzirá a velocidade do dispositivo para cerca de 300 km/h.

Vinte segundos após a abertura do paraquedas, o escudo térmico vai se soltar: o veículo que estava protegido ficará exposto pela primeira vez à atmosfera de Marte.

Nesse ponto, uma tecnologia totalmente nova entrará em ação, chamada "Terrain Relative Navigation" (NRT): as imagens gravadas ao vivo pelas câmeras do rover serão comparadas com os mapas gravados em seu sistema e as áreas perigosas a serem evitadas são predefinidas. Levando esses dados em consideração, será decidido onde o rover pousará.

A uma altitude de cerca de 2 km, o veículo da NASA se desprenderá do escudo traseiro e do paraquedas.

Escrito por:

AFP