Publicado 15 de Fevereiro de 2021 - 14h00

Por AFP

A Jordânia começou, nesta segunda-feira (15), a primeira campanha de vacinação contra a covid-19 em um campo de refugiados, o de Zaatari, onde vivem cerca de 80.000 sírios, anunciou um porta-voz da ONU.

"É o primeiro centro de vacinação do mundo aberto em um campo de refugiados", declarou à AFP Mohamad Hawari, porta-voz de la Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) na Jordânia.

"Isso poupará tempo e esforços e vai acelerar o processo de vacinação entre os residentes do campo", acrescentou.

Segundo ele, "cerca de 2.000 refugiados sírios deste campo se registraram na plataforma do governo para receber a vacina" e 1.200 deles cumpriam os critérios estabelecidos pelo ministério da Saúde.

São principalmente profissionais da saúde, pessoas de mais de 65 anos e quem possui doenças crônicas.

"Hoje (segunda-feira), 52 refugiados receberão a vacina e na terça-feira outros 44", informou.

O porta-voz também disse que 164 refugiados sírios do acampamento já foram vacinados em outro centro.

A Jordânia acolhe atualmente cerca de 663.000 refugiados sírios, segundo registros das Nações Unidas. As autoridades jordanas estimam, por sua vez, que cerca de 1,3 milhão de pessoas buscaram refúgio no reino desde o início do conflito na vizinha Síria, em 2011.

msh/sk/hc/hkb/es/mb/aa

Escrito por:

AFP