Publicado 14 de Fevereiro de 2021 - 17h00

Por AFP

O Líbano, atingido por diversas crises, iniciou sua campanha de vacinação contra a covid-19 neste domingo (14), começando pelos funcionários da saúde e pessoas com mais de 75 anos.

As primeiras 28.500 doses da vacina Pfzier/BioNTech, financiada pelo Banco Mundial, chegaram ao país no sábado, que permanece confinado após ver um aumento de casos no início do ano.

A vacinação começou em três hospitais da capital, Beirute.

Na segunda-feira, a campanha será estendida a uma dezena de hospitais de outras cidades, segundo o Ministério da Saúde.

"Esperamos que seja o início do fim desta epidemia no país", disse Mahmoud Hassoun, chefe da unidade de terapia intensiva do Hospital Rafic Hariri, que foi o primeiro a receber a vacina.

Para "garantir um acesso equitativo, abrangente e rápido", a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha monitorará o armazenamento e distribuição de vacinas ao longo do ano.

O Líbano, com seis milhões de habitantes, incluindo mais de um milhão de refugiados sírios e palestinos, espera a chegada de dois milhões de doses da vacina Pfizer/BioNtech, financiada com um pacote de 34 milhões de dólares do Banco Mundial.

No total, Beirute receberá cerca de seis milhões de doses, contando com 2,7 milhões que receberá na plataforma internacional Covax, criada para apoiar os países mais desfavorecidos.

Desde meados de janeiro, o país está sob rígido confinamento, embora em 8 de fevereiro algumas restrições tenham começado a ser gradualmente suspensas.

O Líbano registrou 339.122 casos de covid-19 e 3.993 mortes.

ah/tgg/hj/jvb/mb/ap

Escrito por:

AFP