Publicado 08 de Fevereiro de 2021 - 21h10

Por AFP

Uma aliança que une os diferentes candidatos presidenciais da oposição na Somália considera ilegítimo o presidente Mohamed Abdullahi Mohamed, conhecido como Farmajo, cujo mandato terminou oficialmente sem a organização de novas eleições.

"A partir de 8 de fevereiro, o conselho de candidatos da oposição não reconhece mais Farmajo como presidente legítimo", anunciou um comunicado da aliança.

O conselho de candidatos "não aceitará nenhuma prorrogação de seu mandato sob pressão", completa o texto da aliança opositora.

O governo somali e os estados não alcançaram um acordo sobre a celebração de eleições. O país africano, que sofre com a violência dos islamitas radicais próximos a Al-Qaeda, deveria organizar eleições presidenciais e legislativas antes de 8 de fevereiro.

nur-rfo/fal/jhd/zm/bl/fp

Escrito por:

AFP