Publicado 08 de Fevereiro de 2021 - 12h50

Por AFP

O Paris Saint-Germain (3º) venceu o Olympique de Marselha (9º) por 2 a 0 neste domingo, no clássico do campeonato francês que fechou a 24ª rodada, ficando três pontos atrás do líder Lille.

O primeiro gol veio em um contra-ataque em velocidade com a finalização de Kylian Mbappé logo aos 9 minutos. O segundo foi um desvio de cabeça de Mauro Icardi aos 24.

Com essa vitória o PSG se vingou da derrota por 1 a 0 no na segunda rodada do primeiro turno no Parque dos Príncipes, em Paris.

Se recuperando de uma gastroenterite, o astro Neymar só jogou os últimos 25 minutos no clássico que teve menos momentos de tensão do que os anteriores, embora Dimitri Payet, do OM, tenha sido expulso aos 90 minutos com um cartão vermelho direto após uma entrada dura em Marco Verratti.

Em um jogo esfriado devido à ausência do público no Vélodrome, o Olympique de Marselha mostrou muita disposição nos primeiros minutos, mas seu esforço evaporou em um contra-ataque alucinante do PSG.

Após um escanteio, Icardi dominou a bola, Ángel Di María conduziu e Mbappé avançou em velocidade tocando na saída de Steve Mandanda.

O Olympique continuou tentando, mas sem chances claras. Já o PSG mostrou eficiência com um estranho desvio pelo alto de Icardi, de costas para a baliza, aumentando a vantagem para o time da capital.

No segundo tempo, o OM se aproximou do gol com um chute de Boubacar Kamara (50) que o goleiro espanhol Sergio Rico defendeu com dificuldade.

Aos 66 minutos, Neymar entrou e em sua primeira jogada se chocou na entrada da área com Álvaro González, que machucou o tornozelo, e pediu pênalti.

O espanhol conseguiu continuar em campo e até interceptou um passe decisivo de Mbappé para Neymar, mas acabou tendo que ser substituído (78).

Os dois jogadores haviam tido vários atritos, em campo e nas redes sociais, depois de protagonizarem uma briga na partida do primeiro turno.

Já no final, o árbitro expulsou Payet por um desarme em que deixou as travas da chuteira no torso de Verratti.

Escrito por:

AFP