Publicado 07 de Fevereiro de 2021 - 12h10

Por AFP

A sonda "Esperança", dos Emirados Árabes Unidos (EAU), deve chegar à órbita de Marte na terça-feira (9), sete meses após seu lançamento, tornando-se a primeira das três missões programadas para fevereiro no planeta Vermelho.

China e Estados Unidos também lançaram missões a este planeta em julho, período em que a Terra e Marte estão mais próximos.

Se "Esperança" conseguir alcançar a órbita com sucesso, os Emirados se tornarão o quinto a chegar a Marte, e a China o sexto, no dia seguinte.

Até o momento apenas Estados Unidos, Índia, a ex-União Soviética e a Agência Espacial Europeia conseguiram chegar ao planeta vermelho.

Após a decolagem do Japão, a sonda "Al-Amal" ou "Hope" em inglês ("Esperança") terá que realizar sua manobra "mais crítica e complexa", segundo autoridades dos Emirados, com uma possibilidade de 50% de conseguir a entrada em órbita.

O dispositivo deve frear de maneira intensa para ser capturado na gravidade de Marte, acionando os seis propulsores Delta-V por 27 minutos para reduzir sua velocidade, de 121.000 km/h para cerca de 18.000.

O processo, que consumirá metade do combustível, terá início na terça-feira, às 15h30 GMT (12h30 de Brasília), e levará 11 minutos para que o sinal de avanço chegue à sala de controle em terra.

Enquanto isso, os monumentos dos Emirados estão iluminados em vermelho, a hashtag #ArabstoMars domina as contas das redes sociais do governo e o Burj Khalifa em Dubai, o maior prédio do mundo, estará no centro de um espetáculo para a ocasião.

"Esperança" orbitará o planeta por pelo menos um ano marciano, ou seja, 687 dias. A sonda chinesa "Tianwen-1" e o robô americano "Perseverance" pousarão na superfície de Marte.

Omran Sharaf, diretor do projeto da missão dos Emirados, declarou que foi "uma felicidade imensa" para "Esperança" ser a primeira missão a chegar ao planeta.

"Para nós, não foi uma corrida. Abordamos o espaço como uma ideia de colaboração e inclusão", acrescentou.

Embora a sonda seja criada para fornecer um quadro completo da dinâmica meteorológica do planeta, a missão é a base de um objetivo muito mais ambicioso: a construção de uma colônia humana em Marte nos próximos 100 anos.

EAU, que busca se consolidar como ator regional importante, também pretende que o projeto sirva de inspiração para a juventude árabe, em uma região abalada por conflitos e crises econômicas.

A sonda chinesa "Tianwen-1" já enviou uma primeira imagem de Marte: uma imagem em preto e branco que mostra características geológicas, especialmente a cratera Schiaparelli e os Vales Marineris, uma série de cânions do planeta vermelho.

Escrito por:

AFP