Publicado 05 de Fevereiro de 2021 - 10h30

Por AFP

As autoridades da Coreia do Sul assinaram, nesta sexta-feira (5), um contrato de 43,2 bilhões de dólares para a construção do que Seul apresenta como o maior parque eólico em alto mar do mundo.

Como país pobre em recursos energéticos tradicionais, a Coreia do Sul estabeleceu a meta de alcançar a neutralidade de carbono para 2050.

Atualmente depende em grande parte de suas importações de carvão, que proporcionam 40% de sua eletricidade.

Além do objetivo de neutralidade do carbono, o presidente de centro-esquerda Moon Jae-in tem a intenção de abandonar gradualmente a energia nuclear, o que não o deixa com outra opção sem ser apostar maciçamente na eólica, hidroelétrica e na solar.

O chefe de Estado supervisionou a assinatura de um enorme contrato de 48 bilhões de wones (43,2 bilhões de dólares) para a construção de um gigantesco parque eólico nas costas de Sinan, no sudoeste, cuja capacidade máxima será de 8,2 gigawatts.

Segundo Moon, será sete vezes maior que o maior campo eólico em alto mar e gerará uma energia comparável a seis usinas nucleares.

Moon destacou a posição geográfica única da península. "Temos um potencial infinito de energia eólica em alto mar e a melhor tecnologia do mundo neste campo", afirmou.

O acordo envolve 33 entidades diferentes, incluindo governos regionais, a empresa elétrica Kepco, e grandes empresas privadas como Doosan Heavy Industries & Construction e SK E&S.

Moon alertou que talvez precisarão de cinco anos antes de começar as obras, mas afirmou que o governo se esforçará para acelerar o processo.

No ano passado, Seul anunciou seu objetivo de entrar no top 5 mundial dos países produtores de energia eólica para 2030.

A Coreia do Sul tem 24 usinas nucleares, a maior densidade do mundo.

cdl-slb/jac/esp/mab/es/aa

KOREA ELECTRIC POWER CORPORATION

Escrito por:

AFP