Publicado 04 de Fevereiro de 2021 - 16h04

Por Estadão Conteúdo

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) atesta que a morte de Liliane Amorim foi em decorrência de perfuração no intestino, o que reforça a tese da família que houve erro médico durante a cirurgia plástica. A da influenciadora digital de 26 anos faleceu 16 dias após realizar uma lipoaspiração.

Segundo o site UOL, que teve acesso ao documento pela advogada da família, Débora Helen Santos, a conclusão do laudo afirma "tratar-se de morte real por choque séptico de foco abdominal e infecção de partes moles, decorrente de lesão intestinal secundária a traumatismo abdominal penetrante".

No documento não fica explícito se a lesão aconteceu durante o procedimento, realizado pelo médico Benjamim Alencar. Foi aberto um inquérito policial para investigar o caso. Além da ação criminal, a família vai processar o cirurgião plástico por danos morais.

Liliane Amorim fez uma lipoaspiração no dia 9 de janeiro, em Juazeiro do Norte, no Ceará. No dia 15 ela foi internada com fortes dores abdominais e passou por outra cirurgia. Dois dias depois seu quadro piorou e ela foi para a UTI. Mais uma intervenção aconteceu no dia 23, mas a jovem não resistiu e faleceu no dia 24.

Escrito por:

Estadão Conteúdo