Publicado 03 de Fevereiro de 2021 - 23h30

Por AFP

A Colômbia aprovou nesta quarta-feira (3) a vacina contra a covid-19 do laboratório chinês Sinovac, do qual espera receber 2,5 milhões de doses, informou o presidente Iván Duque. É o segundo imunizante autorizado no país depois do da americana Pfizer.

A agência colombiana de controle de medicamentos "autorizou a chegada da vacina Sinovac, que passou por toda a avaliação dos especialistas", disse o presidente em seu programa diário de televisão.

A vacina será aplicado em duas doses a 1.250.000pessoas, afirmou à AFP um assessor de imprensa do Ministério da Saúde, e se somará aos 10 milhões de injeções da Pfizer aprovadas em janeiro.

O presidente Duque planeja iniciar em 20 de fevereiro a vacinação em massa para 35,2 milhões de pessoas.

De acordo com o Ministério da Saúde, há acordos de confidencialidade com os laboratórios Pfizer, AstraZeneca, Johnson & Johnson e Sinovac, e uma negociação em andamento com a farmacêutica russa responsável pela Sputnik V.

Segundo o calendário oficial, o governo planeja iniciar o processo de imunização com trabalhadores da saúde, idosos e pessoas com comorbidades.

Em todo o mundo, pelo menos 77 países já iniciaram ciclos de vacinação em massa e, na América Latina, México, Brasil, Argentina, Chile, Costa Rica, Panamá, Equador e Bolívia estão na dianteira.

Com 50 milhões de habitantes, a Colômbia é o segundo país com o maior número de casos de covid-19 (2.100.000) na região e o terceiro com o maior número de mortes (54.800).

lv/lda/ic/mvv

ASTRAZENECA

PFIZER

JOHNSON & JOHNSON

Escrito por:

AFP