Publicado 03 de Fevereiro de 2021 - 18h48

Por AFP

O Canadá na quarta-feira (3) descreveu os Proud Boys, de extrema direita, como uma "ameaça séria e crescente" e classificou o movimento como uma organização terrorista proibida.

Fundado em 2016 e presente no Canadá, Estados Unidos e outros países, o grupo Proud Boys desempenhou um "papel central" na insurreição mortal no Capitólio, em Washington, em 6 de janeiro, informou o ministério da segurança pública em um comunicado.

É, de acordo com o governo canadense, uma "organização neofascista que se envolve em violência política" e cujos membros "defendem ideologias misóginas, islamofóbicas, anti-semitas, anti-imigrantes e/ou da supremacia branca".

O ministro da Segurança Pública, Bill Blair, disse em uma entrevista coletiva que os membros "representam uma ameaça séria e crescente para a sociedade canadense".

"Há um crescente corpo de evidências... Da escalada de violência em que este grupo está envolvido", disse ele, observando que as autoridades canadenses monitoram os Proud Boys desde 2018.

Os membros são possivelmente milhares na América do Norte e estão presentes em todas as grandes cidades canadenses, disse um funcionário em uma coletiva.

Três outros "grupos extremistas violentos com motivação ideológica" - Divisão Atomwaffen, Base e Movimento Imperial Russo - também foram adicionados à lista canadense de grupos terroristas proibidos, criada após os ataques de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

As demais entidades listadas são afiliadas da Al-Qaeda ou do grupo do Estado Islâmico, bem como do grupo militante de libertação da Caxemira Hizbul Mujahideen.

As demais entidades listadas são afiliadas da Al-Qaeda ou do grupo do Estado Islâmico, bem como do grupo militante de libertação da Caxemira Hizbul Mujahideen.

Acredita-se que cada um tenha "participado conscientemente ou facilitado uma atividade terrorista", disse o ministério.

Ser adicionado à lista de observação não criminaliza automaticamente os próprios grupos, mas permite que as autoridades apreendam seus bens e processem membros ou associados por realizarem atividades extremistas.

A lista apresenta cerca de 70 grupos.

jl/amc/ft/ap/mvv

Escrito por:

AFP