Publicado 20 de Dezembro de 2020 - 12h53

Por Carlos Rodrigues

Cristovam valoriza as vitórias no Brinco:

Thomaz Marostegan/Guarani FC

Cristovam valoriza as vitórias no Brinco: "Estamos aproveitando o fator casa, administrando as partidas, e isso tem nos levado pra perto do G4"

O Guarani tem hoje a chance de igualar uma marca histórica de 38 anos atrás. Caso derrote o Figueirense, em partida marcada para as 18h15, o Bugre conquistará a nona vitória consecutiva no Brinco de Ouro e repetirá a sequência alcançada em 1982. O jogo, válido pela 30ª rodada da Série B do Brasileiro, também tem peso importante na briga do Bugre pelo acesso.

Comandado por Zé Duarte e com nomes como Jorge Mendonça e Careca, o time de 1982 conseguiu o feito durante a campanha do Campeonato Brasileiro. Naquele ano, as vítimas foram América-RN (4x2), River-PI (8x0), Ceará (8x1), Botafogo (4x1), Grêmio (2x0), Náutico (2x0), Grêmio Maringá (3x1), Operário-MS (1x0) e São Paulo (2x0). A invencibilidade terminou na semifinal após derrota por 3 a 2 para o Flamengo, em jogo que marcou o recorde absoluto de público no Brinco de Ouro — 52.002 pagantes.

A série atual coincide com a presença de Felipe Conceição. Antes do treinador, o Guarani tinha três empates e três derrotas em casa. A primeira vitória como mandante - 3 a 1 sobre o CRB - foi no dia seguinte a chegada do comandante e ele acompanhou aquele jogo das vitalícias. Depois, o Bugre bateu Cuiabá (1x0), Avaí (2x1), CSA (2x1), Botafogo-SP (2x1), Chapecoense (2x0), Operário (3x0) e Confiança (1x0).

"Estamos felizes por essa marca, mas queremos fazer mais, quebrar mais recordes com vitórias seguidas dentro de casa", destaca o lateral-direito Cristovam. "E é importante ressaltar que o que antes era ponto fraco, agora é ponto forte. Estamos aproveitando o fator casa, administrando as partidas e segurando os resultados. Isso tem nos levado pra perto do G4".

O G4, aliás, é outro motivo que torna a partida de hoje muito importante. Como último dos concorrentes a entrar em campo na rodada, o Guarani sabe que pode ganhar posições, mas, por conta das vitórias de Juventude e Cuiabá, obrigatoriamente terá que superar o Figueirense para manter a diferença de três pontos em relação ao quarto colocado.

"Existe ansiedade sim, mas precisamos manter a tranquilidade. Claro que todo mundo sonha com o G4, planeja, mas é jogo a jogo, objetivo a objetivo", pontua Pablo. "Precisamos ter responsabilidade, entender que o Figueirense é uma grande equipe e saber que será um jogo muito difícil".

A princípio sem novos desfalques, Felipe Conceição tem a possibilidade de repetir a escalação que derrotou o Confiança na quarta-feira, com a manutenção de Marcelo no meio-campo e a presença de Renanzinho atuando pelo lado esquerdo do ataque.

Escrito por:

Carlos Rodrigues