Publicado 20 de Dezembro de 2020 - 8h51

Por Maria Teresa Costa

Com a base do atual governo dividida na eleição para a presidência da Câmara, há risco de, no dia 1º de janeiro, ocorrer segundo turno de votação, situação inédita no Legislativo. Para ser eleito, o vereador precisará ter metade mais um voto dos parlamentares. Os três candidatos da atual base, Luiz Cirilo (PSDB), tem sete votos, Luiz Rossini (PV) tem quatro e Zé Carlos (PSB), nove. Se a oposição permanecer unida com a candidata Mariana Conti (PSOL), com seis votos, quem vai decidir a eleição serão os novos vereadores.

Mudança na Câmara

O comerciante Edinho Garcia (PTB) teve o registro da candidatura indeferido, entrou com recurso e pode disputar vaga na Câmara de Valinhos nas eleições de novembro. Na sexta-feira, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) julgou o recurso e deferiu o registro e assim ele assumirá cadeira do partido no Legislativo. Ele teve 624 votos, o que fez a legenda ganhar mais uma cadeira. Com a decisão, quem perdeu a vaga foi o vereador Gilberto Borges, o Giba (PDT), que concorreu à reeleição.

Filmes

O prefeito Jonas Donizette (PSB) iniciou uma nova série de postagens nas redes sociais, a “Jonas Indica”. Nela, vai dar dicas de filmes. A primeira indicação foi “Tudo Bem no Natal que Vem”, disponível na Netflix.

Diploma

O prefeito eleito Dário Saadi (Republicanos) baixou na internet o diploma de prefeito na sexta-feira e fez foto na frente da Prefeitura com o documento. Neste ano, por causa da pandemia, não houve cerimônia de diplomação dos eleitos pela Justiça Eleitoral. Cada um acessou o documento por um endereço eletrônico.

Bastidor

Conversas de bastidores apostam que o presidente da Sanasa, Arly de Lara Romêo, vai permanecer no primeiro escalão do governo de Dário Saadi. Na sexta-feira, o prefeito eleito anunciou o economista Manoelito Pereira Magalhães para a presidência da empresa de economia mista.

Aposta

Outra aposta é que o presidente da Cohab, Vinicius Rivertere, também deve permanecer, mas em outra pasta. Dário, no entanto, não confirmou e nem negou. Disse que não há nada definido.

Repasse

Câmara de Campinas repassou à Prefeitura, na sexta-feira, R$ 883,5 mil, totalizando este ano repasses de R$ 31,6 milhões em dinheiro economizado no ano e que é parte da dotação orçamentária do Legislativo.

Saúde

O médico Dr. Nivaldo (Republicanos), que retirou sua candidatura a prefeito de Nova Odessa para apoiar Claudio José Schooder, o Leitinho (PSD), que venceu a eleição, foi confirmado secretário de Saúde da nova gestão.

Vice

O deputado federal Alexis Fonteyne (Novo), que tem base eleitoral em Campinas, assume, a partir de janeiro, uma das vice-lideranças do partido na Câmara Federal. O outro vice será o deputado Gilson Marques.

Liderança

O deputado federal Carlos Sampaio deixa a liderança do PSDB na Câmara Federal, função que será assumida, a partir de fevereiro, pelo deputado mineiro Rodrigo de Castro, que foi eleito, por aclamação na terça-feira.

Salário do prefeito

À espera do julgamento de recurso impetrado pela Câmara à liminar do Tribunal de Justiça que considerou inconstitucional lei de 2018, que concedeu aumento de 4,47% nos salários do prefeito, vice e secretariado, os vencimentos do primeiro escalão do futuro governo a partir de janeiro voltam aos patamares de 2016, ou seja, prefeito e secretários receberão R$ 23,2 mil e o vice,

R$ 17,9 mil. Na hipótese de o recurso ser julgado procedente, os salários terão 4,47% de reajuste, como estava definido na lei de 2018.

Escrito por:

Maria Teresa Costa