Publicado 18 de Dezembro de 2020 - 16h29

Por Alenita Ramirez

Ao menos seis bandidos armados e encapuzados invadiram a sede da Defensoria Pública do Estado, no bairro Alto Taquaral

Wagner Souza/AAN

Ao menos seis bandidos armados e encapuzados invadiram a sede da Defensoria Pública do Estado, no bairro Alto Taquaral

Ao menos seis bandidos armados e encapuzados invadiram a sede da Defensoria Pública do Estado, no bairro Alto Taquaral, em Campinas, na madrugada desta quinta-feira (17), e roubaram ao menos 50 computadores avaliados em cerca de R$ 200 mil. Ninguém foi preso. Segundo a polícia, esse é o segundo assalto no local em um período de 22 dias. O crime será investigado pelo 4º Distrito Policial (DP), no bairro Taquaral, e será acompanhado pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

O assalto foi por volta da 2h. Os criminosos teriam chegado em diversos veículos e os deixados distantes do prédio. Depois arrombaram a porta principal e renderam o vigilante. A ação durou cerca de 15 minutos e a vítima foi agredida e teve o celular roubado. “Eu voltava da ronda e estava a cinco metros da porta quando quebraram a porta. Eu gritei para que a vizinha da frente ouvisse e chamasse a polícia. Eles me deram uma rasteira e me renderam. Em seguida, um deles me levou até o corredor do banheiro, me fez deitar no chão e me bateu. Também pegaram o meu celular. Eu vi seis homens, mas não sei se havia mais, pois me obrigaram a ficar olhando para o chão”, contou o segurança, cujo nome foi preservado.

Enquanto um bandido manteve o vigilante refém sob a mira de uma arma, os demais criminosos buscaram pelos aparelhos. A polícia acredita que os criminosos tinham informações privilegiadas já que eles buscaram as melhores máquinas, em uma sala específica, mas aos fundos de onde havia equipamentos mais velhos. Inclusive, os criminosos conheciam uma tática usada no prédio, para manter a porta principal, que é de correr, travada.

Os bandidos usaram uma chave de fenda para arrombar a porta.

No dia 25 do mês passado, também no mesmo horário, bandidos invadiram o prédio, renderam outro vigilante que estava de plantão e levaram cerca de 10 computadores, com prejuízo em torno de R$ 50 mil. O local não possui câmeras de seguranças.

A Defensoria Pública atende a população carente que precisa de assessoria jurídica para defesas e acusações. A reportagem tentou falar com representes do local, mas ninguém foi localizado para comentar o caso. Entretanto, a reportagem apurou que, mesmo neste período de pandemia, são realizados pelo órgão público, cerca de 30 atendimentos, agendados.

Escrito por:

Alenita Ramirez