Publicado 18 de Dezembro de 2020 - 7h55

Por Francisco Lima Neto

Este será o terceiro lote da vacina Coronavac que o governo de São Paulo recebe em menos de um mês

Divulgação

Este será o terceiro lote da vacina Coronavac que o governo de São Paulo recebe em menos de um mês

O governador João Doria (PSDB) anunciou ontem a chegada de 2 milhões de doses prontas da vacina contra o coronavírus, a Coronavac, desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan, hoje pela manhã, no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Segundo o governo, é o maior lote de vacinas enviado à América do Sul até o momento, e o terceiro lote do imunizante que chega a São Paulo.

"A pressa pela vacina é a pressa pela vida. Todos os brasileiros de bem têm pressa. São Paulo, reafirmo aqui, começará a vacinar no dia 25 de janeiro", reforçou o governador. "A corrida pela vida é contra o tempo. Não podemos ignorar o senso de urgência diante de uma pandemia. Assim estão agindo líderes de outros países, imunizando suas populações e oferecendo esperança a todos. Não há razão para não fazermos o mesmo no Brasil", acrescentou.

O terceiro lote que o Butantan recebe em menos de um mês da biofarmacêutica Sinovac Life Science, com sede na China, chegará em uma aeronave da Swiss Air Lines, após ter sido embarcado ontem em Pequim.

Contando com esse novo lote, o Butantan soma 3,12 milhões de doses disponíveis para uso imediato tão logo haja autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A produção local também já começou, com a chegada de matéria-prima para envase e rotulagem na fábrica de imunizantes do instituto, de acordo com o governo estadual.

Na semana passada, o Butantan confirmou que o estudo clínico conclusivo da vacina contra o coronavírus será divulgado no próximo dia 23. A medida, de acordo com o governo, dá mais agilidade aos trâmites de certificação na Anvisa e demais órgãos internacionais de saúde.

Dessa forma, o Butantan cogita iniciar a vacinação contra a Covid-19 antes, no dia 15 de janeiro. A data divulgada anteriormente era 25 de janeiro. A fase três do estudo clínico no País será encerrada nesta semana, já que o patamar ideal de 154 voluntários com diagnóstico positivo de coronavírus foi superado.

"No dia 15 de janeiro, teremos prontas para uso 9 milhões de doses. No começo de fevereiro, 22 milhões de doses e, no dia 15 de março, outras 15 milhões", afirmou o Diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas. O governador João Doria (PSDB) disse que 25 de janeiro continua sendo a data oficialmente prevista para o início da imunização em São Paulo. "Se pudermos iniciar antes, ótimo, é o que mais desejamos. Estabelecemos esse prazo para não atropelar o rito da Anvisa, mas se houver um rito mais rápido, quanto mais rápido melhor. Estaremos preparados para fazer a imunização em São Paulo."

Campinas confirma 312 novos casos de infecção

Campinas não registrou ontem novas mortes por Covid-19. Desde o início da pandemia, 1.419 pessoas morreram em razão da doença na cidade. Segundo o último boletim da Secretaria de Saúde de Campinas, nove óbitos estão sendo investigados (quatro a menos que quarta-feira passada). Os dados são atualizados diariamente.

O número de casos confirmados e em investigação, entretanto, teve acréscimos de 312 e 24 casos, respectivamente, elevando a quantidade para 46.843 e 496. Já foram descartados 121.557 casos - 1.044 a mais que a atualização anterior. A Secretaria também divulga o número de pessoas recuperadas e que estão doentes no momento: 44.954 pessoas já se recuperaram, 171 estão internadas com Covid-19 e 296 estão em isolamento domiciliar. Na comparação com os dados informados anteontem, houve aumento de 175, oito e 129 registros, nessa ordem.

Quanto à ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinados a pacientes com Covid-19, Campinas apresentava, na tarde de ontem, taxa de 81,3% - no dia anterior, era de 80%. Somados os leitos das redes pública e particular, eram 203. Deste total, 165 estavam ocupados e 38 livres.

Os leitos estão divididos da seguinte maneira: no Sistema Único de Saúde (SUS) municipal, são 74 leitos, dos quais 66 estão ocupados, o que equivale a 89,2%. No SUS Estadual, são 17 leitos, dos quais 15 estão ocupados, o que corresponde a 88,2%. Na rede particular, são 112 leitos, dos quais 84 estão ocupados, o que equivale a 75%. Há 28 leitos disponíveis. (AAN)

Escrito por:

Francisco Lima Neto