Publicado 16 de Dezembro de 2020 - 17h38

Por Divulgação

A Inteligência artificial revoluciona experiência de pacientes e otimiza custos para operadoras e grandes empresas

Divulgação

A Inteligência artificial revoluciona experiência de pacientes e otimiza custos para operadoras e grandes empresas

Você já teve dificuldade para encontrar o médico certo para resolver o seu problema? Teve que passar em vários locais e especialistas ter uma resolução do seu caso? Essa situação é extremamente comum. Cerca de 2/3 dos usuários de sistemas de saúde, tanto privado, quanto público, considera insuficientes as informações que lhe são passadas quanto ao funcionamento e às possibilidades de utilização dos serviços de saúde. Mais de 80% da população brasileira não está satisfeita com seu sistema de saúde. Há ainda outros números chocantes deste setor listados no destaque abaixo, juntamente com suas fontes.

Um dos principais motivos do descontentamento dos pacientes é que se sentem perdidos no processo. Ao não conseguir encontrar o médico adequado na hora certa, passam a usar o sistema de forma equivocada, o que provoca perda de tempo, ânimo, recursos e, claro, impacta a sua saúde. Estima-se que o uso incorreto e desperdícios dos planos de saúde geram um impacto de aproximadamente R$ 15 bilhões por ano (fonte ANS).

A recém-lançada startup Healthtech Precavida é um navegador personalizado com inteligência artificial, que chega com o objetivo de suportar o paciente em sua jornada de saúde. A ferramenta desenvolve uma experiência de acolhimento simples e eficiente que estreita as relações entre usuário e operadoras/seguradoras, aumentando sua satisfação. Por meio da gestão global das demandas e, ao mesmo tempo, de um atendimento personalizado ao paciente, a navegação de saúde promove mais assertividade, rapidez, redução de custos e sustentabilidade na cadeia de saúde. A Precavida foi fundada por três brasileiras em Boston (EUA) – Laís Fonseca, Lucila de Campos e Mônica Simão –, dentro do MIT (Massachusetts Institute of Technology), em 2019, e chegou recentemente ao Brasil.

De acordo com Laís Fonseca, co-founder & CEO da empresa, a tecnologia interpreta o que o usuário está sentindo e dá recomendações que facilitam as suas escolhas. “Com o método de concierge e com o acompanhamento do nosso time, melhoramos a experiência do paciente, a assertividade dos diagnósticos médicos e reduzimos o tempo de espera, o que afeta diretamente na prevenção de uma possível piora do quadro e nos gastos extras”, frisa a fundadora.

Lucila de Campos, co-founder e diretora médica da Precavida, afirma que esse serviço pode ser oferecido dentro de grandes empresas, o qual gera um acompanhamento individualizado dos colaboradores, otimizando as co-participações. Outra vantagem de quando é disponibilizado para operadoras de saúde é a vivência personalizada oferecida aos beneficiários em um sistema já existente, pois reduz a taxa de sinistralidade. “As operadoras ainda têm diminuídos os desperdícios e fraudes com a utilização de inteligência de dados de ponta a ponta, tendo assegurado o alto padrão dos serviços de concierges e dos profissionais médicos”, explica Lucila.

Como funciona

A experiência se inicia quando o paciente investiga seus sintomas antes de seguir para o pronto atendimento ou quando ele não sabe ao certo qual ação tomar. O acesso à tecnologia é muito simples e intuitivo: o atendimento é via Whatsapp, ligação telefônica e website responsivo ao celular.

Ao inserir na plataforma as informações sobre o que está sentindo a ferramenta de inteligência artificial entende os sintomas do usuário e aponta três parâmetros: possíveis acometimentos da saúde, especialista médico recomendado e nível de urgência. O sistema cruza os dados e prioriza uma lista de doutores recomendados para a resolução do caso, dentro dos critérios de maior conveniência e efetividade para o paciente. O concierge ainda auxilia na marcação da consulta no especialista indicado e faz o acompanhamento até o desfecho clínico, garantido que o paciente seja cuidado ao longo da jornada dentro do sistema em uma relação humanizada e de confiança. O resultado é retroalimentado para melhorar o sistema de recomendação dos algoritmos e personalizar a experiência.

%MCEPASTEBIN%

Escrito por:

Divulgação