Publicado 18 de Dezembro de 2020 - 13h17

Por AFP

A Corte Internacional de Justiça anunciou, nesta sexta-feira (18), que tem jurisdição sobre a disputa fronteiriça entre Guiana e Venezuela e, por isso, examinará o caso, que remonta há mais de 100 anos.

A Venezuela, que rejeitou até agora a intervenção da CIJ, reivindica a soberania sobre a extensa região do Esequibo, rica em minerais e matas e que abarca uma zona marítima com recursos petroleiros.

A Guiana defende um limite territorial estabelecido em 1899, quando ainda era colônia britânica.

dk/har/jz/jvb/tt

Escrito por:

AFP