Publicado 17 de Dezembro de 2020 - 18h08

Por AFP

Parte da coleção de estátuas de bronze, doada pelo artista Fernando Botero a Medellín, sua cidade natal, foi vandalizada com "substâncias químicas" e corantes em pó, denunciou a prefeitura local, que ofereceu recompensa nesta quinta-feira (17) pela localização dos responsáveis pelo ataque.

Nove das 23 obras apareceram com manchas nas cores roxa e violeta. "Não sai com água, manchou o chão, o pedestal e os bronzes", lamentou o prefeito de Medellín, Daniel Quintero, no Twitter.

A autoridade ofereceu 10 milhões de pesos (3.000 dólares) a quem ajudar a identificar os autores dos "atos de vandalismo".

Botero, de 88 anos e radicado na Itália, é o artista colombiano mais valorizado no mundo.

Em 2011, ele doou esta coleção de estátuas, exposta na Praça Botero, no centro de Medellín.

Segundo Quintero, esta é a segunda vez que as obras sofrem com atos de vandalismo este ano e a restauração pode chegar a custar 150.000 dólares.

Famosas pela voluptuosidade, as estátuas de Botero estão expostas em cidades como Nova York, Barcelona e Buenos Aires.

jss/vel/dg/mvv

Escrito por:

AFP