Publicado 17 de Dezembro de 2020 - 16h59

Por AFP

O premier britânico, Boris Johnson, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, conversam nesta quinta-feira (17) desde as 16h de Brasília sobre a futura relação comercial pós-Brexit, em uma tentativa de avançar até um acordo, apesar do pessimismo britânico.

Fontes de ambos os lados do Canal da Mancha informaram que a chamada telefônica dificilmente serviria para os dois líderes tomarem conhecimento do andamento das negociações entre as equipes de negociação em Bruxelas.

Em reunião com legisladores, o principal negociador da UE, o francês Michel Barnier, considerou que era "difícil, mas possível" alcançar um acordo nesta quinta, um dia em que todo o processo está sob pressão do Parlamento Europeu.

Em documento conjunto, os blocos políticos no Parlamento anunciaram que estão dispostos a permanecer prontos para analisar o eventual acordo até 31 de dezembro, mas somente se o entendimento for alcançado até o fim de domingo.

Em contraste, em Londres, um porta-voz do governo disse a repórteres que uma saída britânica da UE sem acordo continua sendo o resultado mais provável.

Por sua vez, o influente secretário do gabinete britânico, Michael Gove, expressou seu pessimismo ao estimar que as chances de sucesso eram "menores que 50%".

No início do dia, Barnier garantiu no Twitter que houve progresso nas negociações, mas alertou que ainda havia obstáculos a serem superados.

"Bons avanços, mas os últimos obstáculos ainda permanecem. Só assinaremos um acordo que proteja os interesses e princípios da UE", afirmou ele. "Nesta etapa final das negociações, transparência e unidade são mais importantes do que nunca", acrescentou.

Barnier realizou uma reunião a portas fechadas com a Conferência de Presidentes do Parlamento Europeu, órgão que reúne o titular do legislativo e os chefes das bancadas políticas, a quem apresentou o estado atual das negociações.

Segundo garantiram fontes legislativas à AFP, nesse encontro Barnier admitiu a possibilidade de chegar a um acordo nesta sexta-feira. "É difícil, mas possível", disse Barnier, de acordo com três fontes consultadas.

"Acredito que ainda há possibilidades nos próximos dias, mas claramente ainda não chegamos a esse ponto. Não sejam impacientes, ainda há algum tempo", declarou Barnier aos legisladores.

Na reunião, o negociador europeu garantiu aos legisladores que a equipe britânica havia aceitado uma cláusula que permitiria a Bruxelas responder caso as normas ambientais e trabalhistas divergissem a ponto de afetar a concorrência entre as empresas.

A questão dos direitos de pesca, no entanto, seguia sendo motivo de desacordo, embora Bruxelas tenha aceitado explicitamente que o Reino Unido tem direitos soberanos sobre suas águas territoriais.

Logo após essa conversa com os legisladores, Barnier se encontrou novamente com o negociador britânico David Frost.

Escrito por:

AFP