Publicado 17 de Dezembro de 2020 - 16h08

Por AFP

O marroquino Ayoub El Khazzani, que tentou realizar um ataque com uma kalashnikov em um trem de alta velocidade francês no trajeto entre Amsterdã e Paris em agosto de 2015, foi condenado à prisão perpétua nesta quinta-feira (17) por um tribunal francês.

Três homens acusados de ajudar o agressor e o coordenador do atentado, Abdelhamid Abaaoud, foram condenados a penas entre 7 e 27 anos de prisão.

Em 21 de agosto de 2015, Ayoub El Khazzani embarcou em um trem na estação de Bruxelas, na Bélgica, armado com uma kalashnikov, uma pistola, uma faca e 300 munições. Foi contido por um grupo de passageiros, dois dos quais eram soldados americanos que estavam de férias, vestidos de civis.

Os policiais o atacaram, impedindo-o de matar "indiscriminadamente e com indiferença a todos os passageiros", declarou o tribunal em sua decisão, a pedido do Ministério Público.

Quando o veredicto foi anunciado, Ayoub El Khazzani, de 31 anos, permaneceu de pé, imóvel e sem manifestar qualquer emoção.

Durante o julgamento, El Khazzani afirmou que a única missão que recebeu foi matar os soldados americanos e membros da Comissão Europeia, que iam a bordo do trem.

No entanto, o tribunal lembrou que os americanos não usavam "nenhum sinal distintivo" e que El Khazzani subiu no trem com um "verdadeiro arsenal [...] que poderia deixar múltiplas vítimas".

Os outros acusados, Bilal Chatra, Redouane El Amrani Ezzerrfi e Mohamed Bakkali, foram declarados culpados de ter ajudado Khazzani e Abaaoud em sua viagem para chegar da Síria à Europa e foram condenados respectivamente a 27, 7 e 25 anos de prisão.

mdh/pga/pid/hba/jz-jvb/mb/aa

Escrito por:

AFP