Publicado 17 de Dezembro de 2020 - 12h38

Por AFP

Várias áreas no leste e sudeste da Inglaterra estarão sujeitas, a partir de sábado, às mais rígidas restrições locais contra a disseminação do coronavírus - anunciou o ministro britânico da Saúde, Matt Hancock, nesta quinta-feira (17).

Com esse aumento, a partir do final de semana, 38 milhões de pessoas, 68% da população da Inglaterra, estarão no maior nível de alerta devido à pandemia.

Nesse nível, bares e restaurantes podem vender comida apenas para viagem. Hotéis, museus, cinemas e teatros devem fechar, mas todas as lojas e escolas podem permanecer abertas.

Londres, sua área metropolitana e partes dos condados vizinhos já entraram no nível máximo de restrições na quarta-feira, diante do aumento significativo de casos de covid-19.

Apenas duas áreas do país, North Somerset e Herefordshire, ambas no oeste, cairão de nível no sábado, graças a uma redução nos casos, anunciou Hancock no Parlamento.

Um dos países mais afetados da Europa, com mais de 65.000 mortes, o Reino Unido enfrenta atualmente uma segunda onda de coronavírus.

Apesar de tudo, o governo decidiu permitir uma flexibilização das restrições entre os dias 23 e 27 de dezembro para que as famílias possam viajar e se reunir no Natal.

Assim como o primeiro-ministro Boris Johnson já havia feito no dia anterior, Hancock pediu à população que se comporte com prudência.

Referindo-se às regras, o ministro considerou "essencial que todos cumpram as e façam a coisa certa".

"É importante lembrar que (...) uma em cada três pessoas com a doença não apresenta sintomas, mas pode transmiti-la", frisou.

pau-acc/mb/tt

Escrito por:

AFP