Publicado 17 de Dezembro de 2020 - 12h00

Por AFP

A União Europeia aprovou nesta quinta-feira (17) a compra da Fitbit, fabricante de relógios inteligentes, por parte da Google, com a condição de que a gigante tecnológica não use os dados de saúde dos usuários europeus para orientar publicidade.

A transação chega a cerca de 2,1 bilhões de dólares.

"Podemos aprovar a compra proposta da Fitbit por parte da Google porque os compromissos garantirão que o mercado de dispositivos portáteis e o espaço de saúde digital permanecerão abertos e competitivos", disse a comissária europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager, em um comunicado.

"Os compromissos determinarão como a Google pode usar os dados coletados com finalidades publicitárias, como protegerá a interoperabilidade entre dispositivos portáteis da concorrência e Android, e como os usuários podem continuar compartilhando dados de saúde e "fitness"", acrescentou.

A autorização da Comissão Europeia ocorre depois de uma investigação "profunda" sobre a compra, pelas preocupações de que daria à Google o acesso aos detalhes de saúde dos usuários e uma vantagem de mercado.

alm-ahg/mb/aa

Escrito por:

AFP