Publicado 17 de Dezembro de 2020 - 11h27

Por AFP

Um acordo entre a União Europeia (UE) e o Reino Unido sobre sua relação pós-Brexit é "difícil, mas possível" - afirmou nesta quinta-feira (17) o principal negociador europeu, o francês Michel Barnier, mas o processo está sob forte pressão do Parlamento Europeu.

Em um documento conjunto, os blocos políticos no Parlamento anunciaram que estão dispostos a examinar o eventual acordo até 31 de dezembro, mas apenas se o entendimento for alcançado até o próximo domingo.

Ao mesmo tempo, em Londres, um porta-voz do governo afirmou que a saída britânica da UE sem um acordo continua sendo o resultado mais provável.

No início do dia, Barnier afirmou que as negociações para um acordo sobre a relação pós-Brexit registraram avanços, mas ainda enfrentam "obstáculos".

"Bons progressos, mas os últimos obstáculos ainda persistem. Só assinaremos um acordo que proteja os interesses e princípios da UE", escreveu Barnier no Twitter.

"Na reta final das negociações, a transparência e a unidade são mais importantes que nunca", completou Barnier em sua mensagem.

Barnier teve uma reunião a portas fechadas com a Conferência de Presidentes do Parlamento Europeu (que reúne o chefe do Poder Legislativo e os líderes de cada bancada política) e apresentou um relatório sobre o estado das negociações.

De acordo com fontes legislativas, durante o encontro Barnier citou a possibilidade de alcançar um acordo até sexta-feira.

"É difícil, mas possível", teria afirmado Barnier aos legisladores, de acordo com três fontes consultadas.

Na reunião, o negociador europeu afirmou aos legisladores que a equipe britânica aceitou uma cláusula que permitiria a Bruxelas responder em caso de divergências entre as normas ambientais e de direito trabalhista a ponto de afetar a concorrência entre as empresas.

A questão dos direitos de pesca, no entanto, continua sendo um motivo de discussões, apesar de Bruxelas ter aceitado explicitamente que o Reino Unido tem direitos soberanos sobre suas águas territoriais.

Depois do encontro com os legisladores, Barnier teve uma nova reunião com o negociador britânico, David Frost.

Em qualquer cenário, o processo está agora sob forte pressão do Parlamento Europeu, que precisa ratificar um eventual acordo até 31 de dezembro, pois no dia seguinte o Reino Unido estará fora do mercado único europeu e da união alfandegária.

Em uma curta nota oficial, os legisladores afirmaram que estão dispostos a convocar uma sessão extraordinária do Parlamento para ratificar o eventual acordo, mas apenas se "um acordo for alcançado até meia-noite de domingo", para que tenham tempo de examinar o conteúdo.

Este cenário sugere a convocação de uma sessão extraordinária do Parlamento Europeu em 28 e 29 de dezembro para ratificar o tratado.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, haviam estabelecido o domingo passado como prazo para o anúncio de uma decisão a respeito das negociações.

Escrito por:

AFP