Publicado 17 de Dezembro de 2020 - 10h47

Por AFP

O principal negociador da União Europeia (UE) para um acordo pós-Brexit com o Reino Unido, Michel Barnier, afirmou nesta quinta-feira a membros do Parlamento Europeu que um entendimento é "possível" até sexta-feira.

Poucos minutos depois, no entanto, um porta-voz do primeiro-ministro britânico Boris Johnson insistiu aos jornalistas que o "mais provável" é o fracasso das conversações.

As negociações para um acordo sobre a relação pós-Brexit registraram avanços, mas ainda enfrentam "obstáculos", destacou Barnier.

"Bons progressos, mas os últimos obstáculos ainda persistem. Só assinaremos um acordo que proteja os interesses e princípios da UE", escreveu Barnier no Twitter.

Barnier participou nesta quinta-feira uma audiência com a Conferência de Presidentes do Parlamento Europeu (que reúne o chefe do Poder Legislativo e os líderes de cada bancada política) para apresentar um relatório sobre o estado das negociações.

"Na reta final das negociações, a transparência e a unidade são mais importantes que nunca", completou Barnier em sua mensagem.

As partes têm apenas duas semanas de prazo para alcançar e ratificar um eventual acordo.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, haviam estabelecido o domingo passado como prazo para o anúncio de uma decisão a respeito das negociações.

Mas depois de uma ligação telefônica, a decisão adotada foi orientar as equipes de negociação a prosseguir com os contatos em busca de um acordo.

O Reino Unido saiu da União Europeia (UE) em 31 de janeiro e, desde então, Londres e Bruxelas negociam como funcionará a relação comercial depois de 31 de dezembro, quando os britânicos deixarão de vez o mercado único e a união alfandegária.

Na quarta-feira, Von der Leyen disse no Parlamento Europeu que foram registrados tímidos avanços para superar as divergências, mas que a distância entre as posições sobre a questão dos direitos de pesca ainda precisa de muitas negociações.

Nesta quinta-feira, o conservador alemão Manfred Webber, líder da maior bancada no Parlamento, disse que sugeriu a outros líderes políticos que os legisladores apenas ratifiquem um eventual acordo com o Reino Unido caso recebam o texto até domingo, 20 de dezembro, no mais tardar.

ahg/zm/fp

Escrito por:

AFP