Publicado 17 de Dezembro de 2020 - 0h07

Por AFP

O Aberto da Austrália será disputado de 8 a 21 de fevereiro de 2021, anunciou a ATP nesta quinta-feira, confirmando o adiamento causado pelas restrições sanitárias da pandemia neste torneio de tênis que deveria começar em 18 de janeiro.

As eliminatórias masculinas acontecerão de 10 a 13 de janeiro em Doha, no Catar, e os jogadores classificados e suas equipes de apoio viajarão para a Austrália para passar por uma quarentena obrigatória de 14 dias, informou a ATP, sem indicar o que acontecerá com as eliminatórias femininas.

Segundo a imprensa local, os atletas e seus acompanhantes serão obrigados a se hospedar nos hotéis designados para eles e poderão treinar cinco horas por dia. Os organizadores serão responsáveis pelo transporte entre os hotéis e o Melbourne Park.

A Tennis Australia não confirmou esta informação até o momento.

O torneio de Adelaide, reduzido a 12 equipes, e um torneio ATP 250 serão realizados em Melbourne antes do Aberto.

"Juntos, com o apoio do nosso torneio, jogadores, parceiros e a Tennis Australia, conseguimos nos adaptar e criar um começo de temporada emocionante", avaliou o presidente da ATP, Andrea Gaudenzi.

"Saúde e segurança continuarão sendo essenciais para enfrentarmos os desafios que temos pela frente", acrescentou.

O sérvio Novak Djokovic busca o nono título na Austrália, depois de derrotar o austríaco Dominic Thiem na final em fevereiro.

A americana Sofia Kenin vai defender o título conquistado no mesmo mês de fevereiro ao vencer na final a espanhola Garbiñe Muguruza.

O diretor do Australian Open, Craig Tiley, disse que entre 25% e 50% das arquibancadas serão abertas ao público.

A Austrália registrou cerca de 28.000 casos de coronavírus em uma população de 25 milhões e cerca de 900 mortes.

hr/dh/roc/plh/erl/lda/aam

Escrito por:

AFP