Publicado 16 de Dezembro de 2020 - 14h17

Por AFP

Uma corte de Paris pronunciou, nesta quarta-feira (16), penas que vão de quatro anos de detenção à prisão perpétua para os 14 acusados no julgamento pelos atentados contra a revista satírica Charlie Hebdo e um supermercado kosher em janeiro de 2015.

Mohamed Belhoucine, que teria sido morto na Síria e foi julgado à revelia, foi condenado à prisão perpétua.

Ali Riza Polat, apresentado como o "braço direito" do responsável pelo ataque ao supermercado Amédy Coulibaly, e a namorada deste último, que também fugiu para a Síria, foram condenados a 30 anos de prisão cada.

asl-vab/meb/mb/tt

Escrito por:

AFP