Publicado 18 de Novembro de 2020 - 15h41

Por Maria Teresa Costa


Divulgação

Crítico à Administração do prefeito Jonas Donizette (PSB), o candidato a prefeito derrotado no primeiro turno, Artur Orsi (PSD), surpreendeu e declarou hoje apoio à candidatura de Dário Saadi (Republicanos) no segundo turno das eleições. Em isolamento domiciliar porque está com Covid-19, ele postou nas redes sociais o motivo da decisão. “Por tudo que vi e ouvi nessa campanha eleitoral, e pela história de vida de cada um dos candidatos que disputam o segundo turno, acredito que a pessoa mais preparada é o Dário Saadi”, afirmou.

Ele disse que conhece o candidato há mais de 30 anos, quando ele participou do governo Magalhães Teixeira e de seu pai Edivaldo Orsi. “Dário também foi meu companheiro de vereança durante três mandatos na Câmara Municipal e essa convivência me dá a certeza de que ele tem mais experiência e preparo pessoal para conduzir nossa cidade pelos próximos quatro anos”, afirmou.

Orsi admite que muitos poderão indagá-lo sobre a participação de Dário na atual gestão, que sempre combateu. “Tenho profundas e agudas diferenças com a atual gestão da nossa cidade, como apontei durante todo o debate político. Meu voto de confiança no Dário se deve ao fato de que, além das qualidades que expus acima, ele não teve seu nome envolvido em irregularidades que nós, da oposição, sempre apontamos e condenamos”, disse.

As negociações para o apoio começaram na segunda-feira, após o término do primeiro turno que levou o candidato do Republicanos à segunda etapa da eleição e deu a ele 121.932 (25,78% dos votos válidos) e a Rafa Zimbaldi (PL), 103.397 (21,86%). Na terça-feira, o presidente nacional da legenda, Gilberto Kassab, esteve em Campinas para costurar o apoio do partido.

Na campanha do primeiro turno, Orsi afirmou diversas vezes que “Dário Saadi é Jonas Donizette, Rafa Zimbaldi é Jonas Donizette” e perguntava que mudanças a cidade queira.

Tentou também surfar na onda bolsonarista para ganhar votos da direita – ele gravou um vídeo com o presidente, que não o conhecia, quando Bolsonaro esteve em Campinas, no Projeto Sirius, no mês passado. Integrantes de seu próprio partido avaliam que o episódio foi um dos responsáveis pela baixa votação obtida no primeiro turno, de 79.076 votos, o equivalente a 64,8% do obtido por Dário Saadi, o mais votado.

Escrito por:

Maria Teresa Costa