Publicado 17 de Novembro de 2020 - 7h43

Por Da Agência Anhanguera


Cedoc/RAC

Dois dos mais longevos vereadores da história da Câmara de Campinas acabaram derrotados nas eleições de domingo. Aurélio Cláudio (PDT) e Campos Filho (Podemos), que vinham de duas décadas de mandatos consecutivos, acabaram rejeitados nas urnas.

Aurélio teve até um pouco mais, já que começou sua trajetória em 1999, quando assumiu a cadeira de vereador como suplente, pelo PPS. Se for contado esse tempo de suplência, ele completa este ano, seu sexto mandato, o que o torna o vereador com maior tempo de casa da história de mais dois séculos do legislativo em Campinas. Aurélio igualou o jornalista Romeu Santini, que cumpriu seis mandatos de vereador. "Eu estava em busca de meu sétimo mandato", afirmou Aurélio, ontem.

Além da longevidade e da derrota, Aurélio e Campos tiveram outra coisa em comum na campanha de 2020. Os dois enfrentaram problemas com a Justiça Eleitoral. Ambos por irregularidades nas contas, no período em que ocuparam a presidência da Câmara. Assim, entraram na disputa este ano com o registro da candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral. Concorreram sob recurso.

Aurélio admitiu ter ficado aborrecido com a derrota. "É claro que há uma decepção, né?", disse ele. "Mas aconteceram várias coisas que inibiram minha campanha. Meus adversários, que aqui na região eram muitos, fizeram uma grande campanha dizendo que eu estava inelegível, que não tinha condições de ser eleito, essas coisas. Isso acabou influenciando muita gente", acredita. Ele disse, porém, que vai continuar na atividade política. "Continuo ativo. Vou apoiar meus amigos aqui da região. E o futuro a Deus pertence", concluiu.

Campos, por sua vez, diz ter recebido o resultado com serenidade. "Não há nenhuma decepção. A alternância de poder faz parte do jogo democrático", disse o vereador, que lembrou que será o primeiro suplente de Du Tapeceiro - que foi eleito este ano também pelo Podemos. Du Tapeceiro, por sinal, chegou a assumir a cadeira de vereador, quando de uma licença do mesmo Campos Filho. "Nossa afinidade é muito grande", disse. O vereador Luiz Carlos Rossini (PV), que foi reeleito este ano, deve iniciar em 2021 seu sexto mandato, para se igualar a Romeu e Aurélio.

Outras baixas

O resultado das urnas também trouxe uma surpresa para o atual presidente da Câmara, o vereador Marcos Bernardelli (PSDB). Apesar da exposição do cargo, Bernardelli também ficou de fora. Com apenas 2.493 votos, não foi reeleito.

As urnas foram cruéis também com outros tucanos - Jorge da Farmácia (3.023 votos) e Gilberto Vermelho (2.300) não se reelegeram. Da atual bancada tucana na Câmara, apenas Luiz Henrique Cirilo (3.593 votos) teve o mandato renovado.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera