Publicado 18 de Novembro de 2020 - 19h27

Por AFP

As ações de Wall Street caíram pela segunda sessão consecutiva nesta quarta-feira, despencando depois que a cidade de Nova York ordenou o fechamento de escolas públicas devido à ansiedade com o agravamento do coronavírus.

As ações ficaram instáveis ao longo do dia, mas tomaram um caíram de vez depois que o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, anunciou o fechamento das escolas por conta dos contágios de covid-19.

A medida é tomada em um momento em que os casos de coronavírus nos Estados Unidos aumentam, com a Universidade Johns Hopkins relatando quase 162.000 novos casos no último dia.

O Dow Jones Industrial Average fechou com queda de 1,2%, a 29.438,42 unidades. O índice ampliado S&P 500 de base ampla também recuou 1,2%, a 3.567,79, enquanto o Nasdaq Composite Index registrou queda de 0,8%, a 11.801,60 unidades.

"Este é um cabo de guerra entre o entusiasmo pela vacina e a ansiedade" pelo vírus, avaliou Art Hogan, estrategista-chefe de mercado da National Securities.

Ainda assim, Hogan observou que as ações ainda estão em um nível alto, após os recordes do Dow Jones e do S&P 500 terminando na segunda-feira.

Entre as ações individuais, a Pfizer subiu 0,8%, depois de anunciar que planeja solicitar a autorização de uso de emergência de uma vacina contra o coronavírus "dentro de alguns dias" após os testes clínicos.

A Boeing fechou com queda de 3,3% nas suas ações depois que a Federal Aviation Administration liberou o 737 MAX para retomar o serviço após uma paralisação de 20 meses. As ações inicialmente dispararam após o anúncio, o que era amplamente esperado.

jmb/cs/cc

Escrito por:

AFP