Publicado 18 de Novembro de 2020 - 13h56

Por AFP

Uma "Madalena penitente" de Salai, principal colaborador de Leonardo da Vinci, foi leiloada por 1,7 milhão de euros (US$ 2 milhões) nesta quarta-feira (18), em Paris, excedendo em muito seu preço estimado - informou a casa Artcurial.

Medindo 65 cm por 50 cm, a tela, em bom estado, representa Maria Madalena em um fundo preto, com o olhar em êxtase e os braços cruzados.

Estimada entre 100.000 e 150.000 euros (US$ 116.000 e US$ 174.000), a pintura foi adquirida após um leilão animado por telefone e a portas fechadas, devido ao confinamento.

Apenas algumas pinturas de Salai são conhecidas, como o "Cristo Redentor", preservado na Pinacoteca Ambrosiana de Milão. O restante está em mãos privadas.

Gian Giacomo Caprotti, conhecido como Salai (1480-1524), foi o principal colaborador de Leonardo da Vinci: foi seu aluno, assistente, modelo, tesoureiro, agente e amante.

O mestre da Renascença teria-lhe dado esse apelido, sinônimo de "diabinho", já que era dado a mentir e a roubar.

"Este quadro é um verdadeiro achado. Seu proprietário, que o comprou por uma modesta quantia, confiou-nos para venda. Chegou-nos sem atribuição. Foi Cristina Geddo", uma conceituada perita lombarda do século XV, que "nos revelou que pertencia a Salai", disse o especialista Eric Turquin à AFP, dias antes do leilão.

"Encontramos suas impressões digitais: o pintor cravou o polegar na tinta fresca, característica da técnica de Leonardo e Salai", conta Turquin.

A obra denota "um conhecimento perfeito (da técnica) do "sfumato" de Leonardo". Outro elemento reconhecível é "uma linha branca que marca a pálpebra inferior, dando uma sensação de dureza que destaca o olho", disse o especialista.

jlv/app/mb/mr/tt

Escrito por:

AFP