Publicado 17 de Novembro de 2020 - 13h16

Por AFP

Um sérvio-bósnio acusado de intervir na execução de 51 civis, entre eles internos do campo de detenção de Omarska que abrigou vítimas da "limpeza étnica", foi preso nesta terça-feira (17), anunciou a promotoria.

Dusan Culibrk, de 50 anos, foi preso em Krupa Na Uni (noroeste), na mesma área onde esses crimes aconteceram em 1992.

Um quarto de século após o conflito bósnio, que causou cerca de 100.000 mortes, a justiça local ainda precisa resolver cerca de 600 processos com 4.500 suspeitos, segundo os dados oficiais.

Culibrk é suspeito de ter participado na execução de 44 civis bósnios (muçulmanos) e croatas (católicos) na cidade de Donji Dubovik.

Também é suspeito de fuzilar em agosto de 1992 sete civis bósnios que tentavam fugir para a cidade de Bihac .

Entre abril e agosto de 1992, mais de 6.000 pessoas, principalmente bósnios, mas também croatas, foram presas nos campos de detenção de Omarska, Keraterm e Trnopolje, na região de Prijedor, conhecida como o "triângulo do horror".

As primeiras imagens de detidos esqueléticos desses acampamentos alertaram a opinião pública mundial em agosto de 1992 sobre a campanha de "limpeza étnica" realizada pelas forças sérvias da Bósnia.

Cerca de 3.500 pessoas foram assassinadas nesta região, das quais várias centenas continuam desaparecidas, de acordo com as associações de vítimas.

rus/ev/avz/mab/mb/aa

Escrito por:

AFP