Publicado 17 de Novembro de 2020 - 7h26

Por AFP

A polícia francesa desalojou nesta terça-feira mais de 2.000 migrantes que viviam em barracas em Saint-Denis, subúrbio ao norte de Paris, e transferiu o grupo para ginásios e abrigos das proximidades da capital.

O acampamento improvisado, próximo ao Stade de France, surgiu em agosto e desde então não parava de crescer.

"Estes acampamentos não são aceitáveis", afirmou o chefe de polícia de Paris, Didier Lallement.

"A operação tem por objetivo garantir um refúgio às pessoas em situação regular e as que estão em situação irregular não devem permanecer no território", completou Lallement.

Antes da transferência, todos os migrantes serão submetidos a exames de covid-19. As pessoas com resultados positivos serão isoladas e as demais serão levadas imediatamente para abrigos.

O acampamento insalubre, com centenas de barracas, era integrado em sua maioria por homens, principalmente afegãos, sudaneses, etíopes e somalis.

Muitos passaram por outros acampamentos instalados na periferia de Paris, sucessivamente desmantelados, mas que são novamente criados em áreas mais afastadas.

Várias ONGs denunciam um "ciclo de destruição sem fim".

O acampamento do Stade de France é um dos muitos que surgiram nas ruas de Paris e seus subúrbios desde o início da crise migratória em 2015.

Muitos migrantes que integram os acampamentos insalubres fogem da guerra ou da pobreza.

ali-meb/zm/fp

Escrito por:

AFP