Publicado 16 de Novembro de 2020 - 23h45

Por AFP

Dois menores, de 14 e 16 anos, foram mortos por um soldado durante uma operação para controlar o cumprimento das restrições impostas pela pandemia da covid-19 no sul da Colômbia, informou o Ministério da Defesa do país nesta segunda-feira (16).

O soldado "acionou sua arma" contra os menores depois que os jovens subiram em "uma motocicleta para escapar das autoridades", que na noite de domingo monitoravam o cumprimento das medidas impostas contra a pandemia no município de San Agustín, em Huila (sul), segundo comunicado divulgado pelo Ministério.

Os menores, identificados como Joselino Irua (14) e Emerson Dussan (16), e outras pessoas "estavam reunidos desconsiderando as medidas restritivas de convivência e consumo de bebidas alcoólicas" em um bar, relatou o boletim oficial.

A instituição explicou que o militar agiu por "decisão individual".

A força pública colombiana esteve recentemente envolvida em várias controvérsias por abuso de força.

Em 9 de setembro, dois policiais foram filmados enquanto espancavam brutalmente um homem de 43 anos que morreu posteriormente.

O caso desencadeou uma série de protestos violentos contra postos policiais em Bogotá e arredores. 13 pessoas foram mortas a tiros em meio aos protestos. Pelo menos 35 soldados estão sendo investigados por atirar em manifestantes, segundo a polícia.

No dia 24 de setembro, uma transexual que viajava com seu companheiro em um veículo foi morta a tiros por um soldado que realizava "tarefas de controle" no departamento de Cauca (sul).

O Ministério da Defesa anunciou que submeterá os batalhões do Exército a um "treinamento especial" voltado para o "uso das armas no âmbito dos direitos humanos".

jss/dga/am

Escrito por:

AFP