Publicado 16 de Novembro de 2020 - 13h25

Por AFP

O furacão Iota se tornou um poderoso ciclone de categoria cinco, o máximo, nesta segunda-feira (16) se aproximando do Caribe da Nicarágua, onde os moradores foram evacuados e abrigados diante dessa nova ameaça à América Central, duas semanas após a devastadora passagem do Eta.

O National Hurricane Center (NHC) dos Estados Unidos revelou que Iota atingiu ventos máximos de 260 km/h horas antes de atacar o Caribe centro-americano, entre a Nicarágua e Honduras.

Na mesma região que há duas semanas sofreu o violento ataque do furacão Eta, que deixou mais de 200 mortos e 2,5 milhões de afetados no istmo.

"Espera-se que Iota continue sendo um furacão catastrófico de categoria 5 ao se aproximar da costa nordeste da Nicarágua esta noite (segunda-feira)", apontou o NHC em um relatório.

O centro alertou que "chuvas fortes, inundações repentinas e inundações de rios com risco de vida" são esperadas em partes da América Central.

O impacto seria maior no nordeste da Nicarágua e no leste de Honduras, áreas ainda devastadas pelo Eta.

A evacuação em massa das comunidades nicaraguenses de Karatá, Wonta, Wawabar, atingidas pelo Eta, saturou os abrigos, que no domingo receberam ainda mais pessoas devido à ameaça de Iota, disse à AFP Eufemia Hernández, coordenadora de um dos abrigos na Universidade de Uraccan.

O diretor do Sistema Nacional de Prevenção, Mitigação e Atenção a Desastres (Sinapred) da Nicarágua, Guillermo González, informou que são esperados enchentes e deslizamentos de terra no Caribe Norte e nos departamentos de Chinandega, principalmente nos arredores do Vulcão Casitas, onde o furacão Mitch em 1998 matou milhares de pessoas após um deslizamento de terra.

Em Honduras, Iota já causava rajadas de ventos e fortes chuvas nesta segunda-feira nos departamentos orientais de Gracias a Dios - habitados por indígenas misquitos -, Colón, norte de Olancho e parte de Atlántida, segundo a Comissão Permanente de Contingência (Copeco) estadual.

De acordo com a mídia local, mais de 175 mil pessoas foram evacuadas desde sábado, especialmente em áreas inundadas durante o flagelo Eta no Vale de Sula, perto de San Pedro Sula, capital industrial do país, 180 quilômetros ao norte de Tegucigalpa.

Evacuações preventivas de moradores foram realizadas em 10 dos 18 departamentos do país, inclusive em bairros próximos aos rios de Tegucigalpa, a cidade mais vulnerável devido aos morros povoados como cinturões de pobreza sujeitos a deslizamentos.

El Salvador, que sofreu pouco com a passagem do Eta, declarou um alerta laranja (alto grau de risco) em todo o país diante da possível necessidade de evacuação de moradores, segundo o ministro do Interior, Mario Durán.

O Panamá, atingido pelas bandas do furacão Iota, declarou um alerta vermelho nas províncias ocidentais de Chiriquí e Boca del Toro e na região indígena Ngäbe-Buglé.

O governo e as agências de ajuda humanitária correm para enviar alimentos e outros suprimentos por terra para ajudar as vítimas no Caribe da Nicarágua, antes que a região seja atingida pela enchente dos poderosos rios que a cruzam.

Escrito por:

AFP