Publicado 05 de Outubro de 2020 - 19h05

A imaginação de Eduardo Sterblitch vai longe. Ainda assim, a televisão nunca fez parte dos sonhos do ator. Ele, que ficou conhecido do grande público por integrar o elenco do Pânico na TV, tinha como objetivo artístico apenas os palcos. “Desde criança, sempre fui muito chato com televisão. Nunca quis fazer. Era aquele ator que queria fazer teatro para sempre e morrer pobre (risos). Nunca me imaginei me entregando ao mercado televisivo. Então, rolou o Pânico e me ensinou a fazer tevê e humor. Eu não sabia fazer tevê e nem sabia que era engraçado”, lembra. Após começar a desbravar a televisão, Sterblitch viu suas convicções mudarem novamente ao ser convidado para integrar o elenco de Éramos Seis, nova novela das seis da Globo, que estreou no dia 30 de setembro. O folhetim é baseado na novela original escrita por Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho, livremente inspirado no livro de Maria José Dupré. “Sou muito imaginativo, mas nunca achei que fosse fazer novela ou que isso iria acontecer. Estou curtindo fazer televisão de outra forma. Consigo usar tudo o que aprendi no Pânico, mas estou aprendendo mais também. Estou bem atento nesse jogo”, ressalta.

No “remake” escrito por Ângela Chaves, Sterblitch interpreta Zeca, namorado de Olga, papel de Maria Eduarda de Carvalho, em Itapetininga. Farmacêutico, doce e divertido, o rapaz é apaixonado por Olga a ponto de fazer todas as suas vontades, até mesmo conhecer e conquistar sua Tia Emília, de Susana Vieira, para ter, quem sabe um dia, a oportunidade de ser rico como ela. Tudo parte do plano de sua amada. “O Zeca não tem família e é muito sozinho. Então, a vida dele é para conquistar a Olga. O público vai poder acompanhar várias etapas da relação dos dois. Não sei se o personagem terá o mesmo destino da versão original. Estou torcendo para o público gostar bastante”, adianta Sterblitch, que não fez teste para integrar o elenco da produção. “Sou péssimo em teste. Então, não faço qualquer teste porque sei que não irei passar. Dei muita sorte. Foi uma ideia do Chico Accioly (preparador de elenco). Ele achou que eu faria bem a novela.”

Esta é a quinta vez que o romance é adaptado para a tevê. Durante a preparação para a novela, Sterblitch pesquisou cenas e capítulos de outras versões. Além disso, ele também conversou bastante com Osmar Prado, que interpretou o personagem originalmente em 1994. “Quando eu assistia aos capítulos, achava que isso poderia me atrapalhar em alguns momentos. Não ia conseguir fazer como o Osmar Prado. Ele é um gênio. Fui na casa dele e ele ajudou bastante a acalmar minha ansiedade. Esses grandes mestres estão sempre aí para ajudar a gente”, elogia.

Natural do Rio de Janeiro, Sterblitch é casado com a atriz Louise D’Tuani. Os dois oficializaram a união em 2015. Por enquanto, o casal não pensa em ter filho em um futuro próximo. “Como estamos casados há algum tempo, é normal ter essa pressão. A gente não fala sobre isso. Deixo o universo conspirar. Vai vir no momento certo. Uma vez uma taróloga disse que eu vou ter uma filha. A Louise disse que essa taróloga está errada (risos)”, revela. (Da TV Press)