Publicado 06 de Outubro de 2020 - 7h05

Em Campinas oito candidatos são alvo de pedidos de impugnação de candidaturas: André Von Zuben (Cidadania), Artur Orsi (PSD) e seu vice Capitão Pereira (PSD), Dario Saadi (Repub), Delegada Teresinha (PTB) e seu vice Coronel Sotto, Helio de Oliveira Santos (PDT) e Rafa Zimbaldi. Em Valinhos são alvos Orestes Previtale (DEM), Alexandre Tonetti (PDT), Capitã Lucimara (PSD) e Clayton Machado (Repub). Em Nova Odessa, José Lourenço Jorge Alvarenga (PSDB) e em Hortolândia, Ângelo Perugini (PDT).

Impugnação de ex-prefeito

O Ministério Público Eleitoral (MPE) ingressou com ação de impugnação do registro da candidatura a vereador do ex-prefeito de Jaguariúna, Tarcísio Chiavegato (PSDB). Segundo o MPE ele está inelegível porque foi condenado à suspensão de seus direitos políticos em decisão colegiada pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região em dezembro de 2018. Ele foi prefeito de 2013 a 2016. A coluna não conseguiu contato com Chiavegato.

Cota racial

O candidato a prefeito Hélio (PDT) está pleiteando na Justiça Eleitoral tempo adicional, em razão da cota racial, na propagando eleitoral gratuita de rádio e TV, que começa na sexta-feira. Helio terá 37 segundos diários para a campanha. Seu entendimento é que o tempo deve ser dividido entre os candidatos majoritários, proporcionalmente entre candidatos negros e brancos.

Tem mais

Se o critério for esse, quatro candidatos teriam direito a mais tempo na propaganda de rádio e TV, por conta da cota racial: Hélio, Ahmed Tarique (PMN), Alessandra Ribeiro (PCdoB) e Laura Leal (PSTU).

O cálculo é outro

Para o presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB-Campinas, Valdemir Reis, o TSE definiu que a divisão de tempo para negros e brancos deve ser feita no âmbito interno dos partidos, dentro do tempo que a legenda tem no horário eleitoral e não que o tempo da propaganda será dividido proporcionalmente entre negros e brancos.

Tempo

O tempo definido para cada candidato no rádio e TV vai exigir criatividade dos candidatos. Rogério Menezes (PV), por exemplo terá apenas 10 segundo.

Passa o chapéu

Os candidatos do Novo abriram mão das verbas do Fundo Eleitoral de Financiamento de Campanha (FEFC), também conhecido como Fundo Eleitoral, para as Eleições Municipais de 2020. Os candidatos estão utilizando "vaquinha virtual" para obter recursos para a divulgação das candidaturas. É o único partido que não utilizará recursos públicos na campanha.

IPTU

O prefeito Jonas adiou, sem data ainda, a reunião que teria ontem com empresários para discutir o IPTU para 2021. A demanda é redução da alíquota para o comércio, barracões e galpões. Está na Câmara, com parecer pela legalidade, projeto dos vereadores Luiz Cirilo (PSDB) e Zé Carlos (PSB), que reduz a alíquota de barracões e galpões e barracões de 3,9% para 1%.

Sem gandola

A deputada estadual Adriana Borgos (PROS), que tem base eleitoral em Campinas, quer livrar os policiais militares do uso da gandola nesses dias em que as temperaturas, em alguns lugares, têm chegado a 43 graus. Gandola é a parte de cima do uniforme militar. Ela solicitou ao Comando Geral da PM que autorize o efetivo a usar apenas camiseta. Seria, segundo ela, uma medida humanitária e de grande importância, inclusive com impacto positivo na produtividade desses profissionais.

Maria Teresa Costa, jornalista