Publicado 08 de Outubro de 2020 - 17h44

Por Gilson Rei

O sistema Pardal tornou-se uma importante ferramenta de fiscalização e denúncia do cidadão para irregularidades na campanha

Divulgação

O sistema Pardal tornou-se uma importante ferramenta de fiscalização e denúncia do cidadão para irregularidades na campanha

A Justiça Eleitoral já colocou em funcionamento o sistema Pardal em celulares para receber denúncias de irregularidades nas campanhas eleitorais. O aplicativo exclusivo para uso em celular, desenvolvido nas eleições de 2014, foi atualizado para a campanha eleitoral deste ano.

A ferramenta ficou mais funcional e está focada também nos potenciais ilícitos da propaganda eleitoral e das fake news, que são as notícias falsas publicadas para prejudicar os adversários com mentiras.

O sistema Pardal tornou-se uma importante ferramenta de fiscalização e denúncia do cidadão para irregularidades na campanha.

Dentre as novidades do aplicativo está o link para que denúncias de outras irregularidades eleitorais, que não sejam relacionadas a propaganda, sejam encaminhadas diretamente ao site do Ministério Público Eleitoral.

Os aperfeiçoamentos também evitam o uso de dados de terceiros e o envio de denúncias infundadas ou repetitivas.

Para criar uma denúncia de propaganda irregular no Pardal, o cidadão deve primeiro identificar o local e quem fez a propaganda; ou seja, escrever o partido, coligação ou candidato.

Na segunda etapa, o denunciante deverá descrever a irregularidade e anexar alguma evidência (foto, vídeo ou áudio). Por último, o usuário deverá se identificar, contudo com a opção de manter o sigilo dos dados pessoais.

A denúncia receberá um número de protocolo pelo qual o denunciante poderá acompanhar o caso pelo próprio aplicativo ou pelo site.

Desde o início do período em que a propaganda eleitoral é permitida, o aplicativo Pardal já recebeu, só no Estado de São Paulo, cerca de 1.361 denúncias.

O interessado deve procurar o aplicativo na loja do seu celular ou outro dispositivo móvel. O Pardal é gratuito e tem versões para os sistemas operacionais iOs e Android.

Candidatos

A eleição municipal de Campinas em 2020 está prevista para 15 de novembro (primeiro turno) e 29 de novembro (segundo turno). A cidade de 1.204.073 habitantes, conta com 843.433 eleitores para a escolha da pessoa que vai ocupar o gabinete do Palácio dos Jequitibás e os 33 vereadores da Câmara Municipal, a partir de janeiro de 2021.

A disputa deste ano pela cadeira no Palácio dos Jequitibás é a maior desde 1988, quando ocorreram as primeiras eleições municipais no País. Ao todo, 14 candidatos buscam a vaga.

Concorrerão ao cargo: Ahmed Tarique (PMN), Alessandra Ribeiro (PCdoB), André Von Zuben (Cidadania), Artur Orsi (PSD), Dário Saadi (Republicanos), Delegada Teresinha (PTB), Dr. Hélio (PDT), Edson Dorta (PCO), Laura Leal (PSTU), Rafa Zimbaldi (PL), Rogério Menezes (PV), Rogério Parada (PRTB), Pedro Tourinho (PT) e Wilson Matos (Patriota).

Quem for eleito em novembro, será o 18º prefeito de Campinas escolhido pelo voto desde 1947 — antes disso, os prefeitos eram intendentes nomeados.

Escrito por:

Gilson Rei