Publicado 08 de Outubro de 2020 - 17h08

Por Alenita Ramirez

Os homens com idades entre 17 e 27 anos, segundo o comandante da GM, Márcio Frizarin, foram flagrados pelo sistema de monitoramento da CIMCamp

Wagner Souza/AAN

Os homens com idades entre 17 e 27 anos, segundo o comandante da GM, Márcio Frizarin, foram flagrados pelo sistema de monitoramento da CIMCamp

Cinco pessoas, dentre as quais dois adolescentes de 17 anos, foram detido pela Guarda Municipal (GM) suspeitas de picharem as paredes do túnel histórico de pedestres da Vila Industrial, em Campinas, na noite desta quarta-feira (7). Todos foram levados para o plantão do 1º Distrito Policial (DP), onde prestaram depoimentos e vão responder ao crime ambiental de pichação em liberdade.

Os homens com idades entre 17 e 27 anos, segundo o comandante da GM, Márcio Frizarin, foram flagrados pelo sistema de monitoramento da CIMCamp. "Vimos que eles iriam iniciar a pichação e acionamos imediatamente as equipes que foram para o local”, disse o comandante.

Ao serem flagrados, os suspeitos tentaram fugir, mas foram pegos nos dois lados do túnel - a Lidgerwood e Antônio Manuel. Perto de um deles, os guardas achou um tubo de tinta. O homem disse que apenas escreveu o nome dele no local. Já os adolescentes disseram que escreveram os apelidos deles. Os outros dois disseram que apenas passavam pelo local.

O túnel foi construído em 1918 e é considerado patrimônio histórico da cidade pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico e Cultural (Condepacc) junto com o complexo ferroviário da região central. Em outubro do ano passado, ele foi reaberto após passar por uma reforma, entre ela a limpeza, pintura e reforço na iluminação do local.

A Lei de Crimes Ambientais que se tornou mais severa, fixa detenção de seis meses a um ano o crime de pichação e conspurcação de monumentos tombados em virtude de seu valor histórico, artístico ou arqueológico.

Escrito por:

Alenita Ramirez