Publicado 06 de Outubro de 2020 - 7h35

Por Francisco Lima Neto

Jovem no tronco para evitar retirada

Wagner Souza/AAN

Jovem no tronco para evitar retirada

Um grupo com cerca de 40 pessoas participou de uma manifestação, ontem, contra a retirada de árvores na marginal do Piçarrão em Campinas para a construção de uma ciclovia. Uma mulher chegou a subir em uma árvore para impedir o corte. A ciclovia terá 5km de extensão e é construída entre o Vila Garden e a Avenida Jorge Tibiriçá.

O protesto foi organizado por moradores do Jardim Nova Europa, Vila Marieta, Jardim dos Oliveiras e arredores. Paulinho Olivieri, tecnólogo em segurança do trabalho e ambientalista, um dos organizadores do ato, acredita que há espaço suficiente para a construção da ciclovia semo corte de árvores. "Existe entre elas um espaço razoável onde é possível construir a ciclovia. Aliás, ninguém é contra a ciclovia. Porém, estamos batendo recordes de calor, e derrubam dezenas de centenas de árvores adultas, evidente que a situação irá piorar", garante.

Ainda segundo ele, é comum que ocorram inundações no local por conta das chuvas. "Agora retiram a vegetação e impermeabilizam o solo, evidente que teremos problemas graves", diz.

Durante a manifestação, uma das participantes subiu em uma das árvores para evitar o corte. A Guarda Municipal foi ao local para evitar que a situação saísse do controle. Por conta da manifestação, os operários desistiram de continuar o trabalho. "Registramos uma denúncia na delegacia de meio ambiente da 1ª Seccional de Campinas, que nos informou que investigará o caso", diz Olivieri.

Os moradores estão fazendo um abaixo-assinado para a interrupção do corte das árvores e também devem lançar outro manifesto on-line para que tenha mais alcance.

De acordo com a professora Stephanie Beraldo Penteado, o advogado está preparando uma ação popular na justiça, com pedido de liminar para impedir o corte de novas árvores. Em agosto, moradoresdo Bonfim e frequentadores do Sesc ficaram indignados com a derrubada das árvores na Avenida Governador Pedro Toledo.

O prefeito Jonas Donizette (PSB) disse entrevista coletiva, que todas as árvores retiradas de determinado lugar para a passagem de ciclovia possuem um laudo ambiental. “Em muitos lugares, a gente retirou a árvore de onde seria a pista e replantou ao lado”, disse. “Hoje é assim: tirou de um lugar, tem de ter a compensação”, afirma ele. O prefeito aponta ainda que determinados protestos são feitos “por gente que está envolvida em política”.

Em nota, ã administração garantiu a compensação prevista é de 950 mudas (referente às nativas), 390 mudas (às exóticas) e 6 mudas (às exóticas invasoras), além da recuperação de 2.829,69 m² referentes à intervenção.

Escrito por:

Francisco Lima Neto