Publicado 08 de Outubro de 2020 - 18h44

Por AFP

As negociações para a demarcação das fronteiras marítimas entre Israel e Líbano, que ocorrerão sob os auspícios da ONU, começarão no dia 14 de outubro, informou o governo israelense nesta quinta-feira (8), ao revelar a composição de sua equipe negociadora.

Em 1º de outubro, autoridades israelenses e libanesas anunciaram que iriam realizar discussões sobre as fronteiras marítimas no Mediterrâneo, um anúncio descrito como "histórico" pelos Estados Unidos.

O subsecretário de Estado dos Estados Unidos para o Oriente Médio, David Schenker, havia especificado que as negociações teriam início na semana de 12 de outubro.

Em nota, o Ministro de Energia israelense, Yuval Steinitz, indicou que as negociações teriam início em "14 de outubro na base da Finul [Missão Provisória da ONU para o Líbano]" em Naqoura, uma cidade no sul do Líbano, localizada perto da fronteira israelense.

A delegação israelense será composta por seis membros, incluindo Udi Adiri, diretor-geral do Ministério da Energia, Reuven Azar, conselheiro diplomático do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, e o general de brigada Oren Setter, chefe da Diretoria de Relações Estratégicas do Exército.

A demarcação das fronteiras marítimas entre os dois países, que teoricamente se encontram em estado de guerra, está ligada a projetos de exploração de hidrocarbonetos no Mediterrâneo oriental.

Ambos os lados "devem negociar com calma, sem incidentes na fronteira", declarou recentemente o general de brigada Assaf Orion. A fronteira terrestre foi palco de incidentes de segurança nos últimos meses.

"No entanto, temo que o Hezbollah [...] tente atacar apesar do fato de que seus parceiros políticos [libaneses] estão avançando com essas conversas", acrescentou a jornalistas.

O movimento xiita Hezbollah, rival de Israel e peso-pesado na política libanesa, considerou que essas negociações não representavam "reconciliação" ou "normalização" com Israel.

Israel assinou em setembro acordos para normalizar suas relações com os Emirados Árabes Unidos e Bahrein, dois países do Golfo com os quais não faz fronteira.

gl/tp/bc/jz/cc/mvv

Escrito por:

AFP